Donar

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Plutão

Foto: Plutão
Planeta da Morte e da Regeneração 

Toda semente deve ser enterrada na escuridão da terra antes que possa romper sua concha e vir à luz. Todo o crescimento tem que começar sua vida na escuridão. Toda semente, até mesmo uma semente humana, necessita da escuridão antes que esteja pronta para alcançar a luz. Plutão representa aquela vida na escuridão. 

Plutão é um planeta escuro e faz parte de um sistema solar inferior. A vibração da Terra está acelerando e haverá os que não suportarão as vibrações aumentadas que estão bombardeando a terra para elevar sua nota-chave vibratória. Todos os males que foram submergidos e escondidos estão sendo trazidos à superfície para ser enfrentados, limpos e modificados. É a energia plutoniana trabalhando atrás do caos e confusão que estão varrendo o planeta. Devem ser eliminados os antigos erros e males. Sempre há as trevas antes do crepúsculo. A luz que reside atrás do aspecto exterior de Plutão se revelará se o indivíduo o permitir. 

Toda energia que nos desafia tem dois pólos que agem atraindo forças. Como indivíduos nós somos puxados por ambos até que achamos a força de balanceamento que é o centro entre as duas atrações opostas. Plutão representa o submundo do inconsciente. É uma força extremamente poderosa que tem regência sobre as forças instintivas que estão profundamente enterradas na parte desconhecida de nós mesmos. 

Plutão é o mais lento de todos os planetas e sua viagem pelos doze signos do Zodíaco leva 247,7 anos. Fica no signo de Touro mais tempo, levando 30 anos para completar o trânsito, e o menor período de tempo em Escorpião, ficando em seu próprio signo só 12 anos. 

Quando um planeta novo é acrescentado à Hierarquia do nosso sistema solar, é sinal de um passo novo no processo evolutivo do Homem. Desde o princípio houve divisão de opinião acerca de onde Plutão está relacionado. Se é maléfico ou benéfico; se rege Escorpião ou Áries; se faz parte de nosso próprio sistema solar ou de um planeta capturado ou emprestado de outro sistema, são questões ainda debatidas. Respostas vieram psiquicamente no estilo Escorpião e do subconsciente, em verdadeiro estilo plutoniano .

A denominação do planeta é um exemplo perfeito. No princípio foi simplesmente chamado Planeta “X”. Quando se investiga a letra “X” ocultamente, achamos que denota ajustamento no plano emocional. “X” é de uma natureza emocional e dual. Leva dentro de sua vibração habilidade psíquica e prenuncia o despertar da intuição. O Observatório Flagstaff pediu, no mundo inteiro, para que as pessoas enviassem sugestões de um nome para o novo planeta. Uma menina de onze anos, Venetia Burney, de Oxford, Inglaterra, propôs o nome “Plutão” para o novo planeta. Onze é uma vibração netuniana que significa habilidade psíquica.        Dela foi a primeira proposta recebida pelo Observatório Flagstaff e foi aceita (“E uma pequena criança os conduzirá”). 

Durante esse tempo, desde a descoberta de Plutão, o mundo sofreu guerras, assassinatos, um ressurgimento da violência e de organizações criminosas que, parasiticamente, se mantêm do trabalho do homem comum. Havia os que depressa perceberam o uso negativo desta energia e tacharam Plutão de maléfico, sombrio e destrutivo. Isto só é parcialmente verdade. Por ser dual também há o uso positivo da mesma energia. Se quiser, o homem pode usar a linha de menor resistência e pode trazer destruição e miséria para si. Ao lidar com esta radiação mais poderosa com sabedoria e razão, o aspecto regenerador de Plutão está em evidência  e o resultado, ao final, é um grande passo para a humanidade. 

O grande trabalho do Dr. Sigmund Freud, e depois o do estudante dele, Dr. Carl Jung, abriu o reino do inconsciente para investigação. A descoberta de Plutão inaugurou um dia novo para o pensamento do homem e os processos do sentir. O reconhecimento de que nossos medos são projeções de nosso próprio inconsciente serviu como um ímpeto para fazer as pessoas enfrentarem o seu lado oculto. 

Escorpião, regido por Plutão, pode ser santo ou mau. Em suas manifestações negativas há confusão emocional absoluta e destruição subterrânea. Há conflito e ego-derrotismo instintivo. Os raios plutonianos negativos podem ser os mais violentos dentre qualquer radiação planetária conhecida pelo homem. O crescimento vem através de experiências dolorosas. Sua manifestação positiva é simbolizada por Minerva, Deusa da Sabedoria, que une a cabeça e o coração. O lado superior de Plutão pode trazer iluminação e Consciência Cósmica. O escorpião que se picaria mortalmente, em lugar de prever a dor e o prazer de picar, é o símbolo do mais baixo aspecto de Plutão. A ave Fênix, elevando-se das cinzas de seu ser morto, é o aspecto superior de Plutão.
 
 
Plutão
Planeta da Morte e da Regeneração

Toda semente deve ser enterrada na escuridão da terra antes que possa romper sua concha e vir à luz. Todo o crescimento tem que começar sua vida na escuridão. Toda semente, até mesmo uma semente hu...mana, necessita da escuridão antes que esteja pronta para alcançar a luz. Plutão representa aquela vida na escuridão.

Plutão é um planeta escuro e faz parte de um sistema solar inferior. A vibração da Terra está acelerando e haverá os que não suportarão as vibrações aumentadas que estão bombardeando a terra para elevar sua nota-chave vibratória. Todos os males que foram submergidos e escondidos estão sendo trazidos à superfície para ser enfrentados, limpos e modificados. É a energia plutoniana trabalhando atrás do caos e confusão que estão varrendo o planeta. Devem ser eliminados os antigos erros e males. Sempre há as trevas antes do crepúsculo. A luz que reside atrás do aspecto exterior de Plutão se revelará se o indivíduo o permitir.

Toda energia que nos desafia tem dois pólos que agem atraindo forças. Como indivíduos nós somos puxados por ambos até que achamos a força de balanceamento que é o centro entre as duas atrações opostas. Plutão representa o submundo do inconsciente. É uma força extremamente poderosa que tem regência sobre as forças instintivas que estão profundamente enterradas na parte desconhecida de nós mesmos.

Plutão é o mais lento de todos os planetas e sua viagem pelos doze signos do Zodíaco leva 247,7 anos. Fica no signo de Touro mais tempo, levando 30 anos para completar o trânsito, e o menor período de tempo em Escorpião, ficando em seu próprio signo só 12 anos.

Quando um planeta novo é acrescentado à Hierarquia do nosso sistema solar, é sinal de um passo novo no processo evolutivo do Homem. Desde o princípio houve divisão de opinião acerca de onde Plutão está relacionado. Se é maléfico ou benéfico; se rege Escorpião ou Áries; se faz parte de nosso próprio sistema solar ou de um planeta capturado ou emprestado de outro sistema, são questões ainda debatidas. Respostas vieram psiquicamente no estilo Escorpião e do subconsciente, em verdadeiro estilo plutoniano .

A denominação do planeta é um exemplo perfeito. No princípio foi simplesmente chamado Planeta “X”. Quando se investiga a letra “X” ocultamente, achamos que denota ajustamento no plano emocional. “X” é de uma natureza emocional e dual. Leva dentro de sua vibração habilidade psíquica e prenuncia o despertar da intuição. O Observatório Flagstaff pediu, no mundo inteiro, para que as pessoas enviassem sugestões de um nome para o novo planeta. Uma menina de onze anos, Venetia Burney, de Oxford, Inglaterra, propôs o nome “Plutão” para o novo planeta. Onze é uma vibração netuniana que significa habilidade psíquica. Dela foi a primeira proposta recebida pelo Observatório Flagstaff e foi aceita (“E uma pequena criança os conduzirá”).

Durante esse tempo, desde a descoberta de Plutão, o mundo sofreu guerras, assassinatos, um ressurgimento da violência e de organizações criminosas que, parasiticamente, se mantêm do trabalho do homem comum. Havia os que depressa perceberam o uso negativo desta energia e tacharam Plutão de maléfico, sombrio e destrutivo. Isto só é parcialmente verdade. Por ser dual também há o uso positivo da mesma energia. Se quiser, o homem pode usar a linha de menor resistência e pode trazer destruição e miséria para si. Ao lidar com esta radiação mais poderosa com sabedoria e razão, o aspecto regenerador de Plutão está em evidência e o resultado, ao final, é um grande passo para a humanidade.

O grande trabalho do Dr. Sigmund Freud, e depois o do estudante dele, Dr. Carl Jung, abriu o reino do inconsciente para investigação. A descoberta de Plutão inaugurou um dia novo para o pensamento do homem e os processos do sentir. O reconhecimento de que nossos medos são projeções de nosso próprio inconsciente serviu como um ímpeto para fazer as pessoas enfrentarem o seu lado oculto.

Escorpião, regido por Plutão, pode ser santo ou mau. Em suas manifestações negativas há confusão emocional absoluta e destruição subterrânea. Há conflito e ego-derrotismo instintivo. Os raios plutonianos negativos podem ser os mais violentos dentre qualquer radiação planetária conhecida pelo homem. O crescimento vem através de experiências dolorosas. Sua manifestação positiva é simbolizada por Minerva, Deusa da Sabedoria, que une a cabeça e o coração. O lado superior de Plutão pode trazer iluminação e Consciência Cósmica. O escorpião que se picaria mortalmente, em lugar de prever a dor e o prazer de picar, é o símbolo do mais baixo aspecto de Plutão. A ave Fênix, elevando-se das cinzas de seu ser morto, é o aspecto superior de Plutão.

Sem comentários: