Donar

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Os Corpos Celestes e os Ritos Religiosos

Foto: Os Corpos Celestes e os Ritos Religiosos

As Festas Móveis são reguladas pela Páscoa, que é a festa 

eclesiástica reguladora de todas as demais festas eclesiásticas móveis do ano . A fixação da Páscoa para os judeus e cristãos se baseia na Lua Cheia posterior à entrada do Sol em Áries, ainda que com a diferença de que os judeus a celebram neste próprio dia e os cristãos no domingo seguinte. O domingo, do latim Domini Dies, o dia do Sol, é considerado o dia da ressurreição do Senhor.

No calendário gregoriano, a Páscoa  deve cair entre 22 de março e 25 de abril, e as demais festas móveis variam em relação à variação da data da comemoração da Páscoa.

oOo

Atualmente pouquíssimas pessoas guardam algum conceito do significado espiritual das festas eclesiásticas comumente observadas. Ainda que as Igrejas Católica Romana e Anglicana da Inglaterra observem tais solenidades festivas, seu significado interno tem se perdido amplamente. Tais festas religiosas estão intimamente relacionadas com o ciclo do Cristo Cósmico através do ano tendo como pontos cardeais os Solstícios de Verão e Inverno e os Equinócios de Primavera e Outono. Nos Equinócios o dia  e a noite apresentam a mesma duração. No Solstício de Inverno, a noite é mais longa e no Solstício de Verão o dia é maior que a noite.

No Hemisfério norte é costume pensar o ano Solar (distinto do calendário anual gregoriano) começando no Equinócio da Primavera, quando o Sol transita de Peixes para Áries. As estações estão invertidas no Hemisfério Sul. No nosso Hemisfério Sul a Primavera está associada com o Equinócio em Virgo-Libra; porém o tempo do começo da Primavera varia de latitude a latitude, do equador aos pólos, em ambos os hemisférios. 

Como os Mistérios da chamada Época Ária foram estabelecidos amplamente no Hemisfério Norte ( que incluía a maior área da Terra e a maioria de sua população) e como os Mistérios Arcanos incluíam grandes espetáculos dramáticos representativos dos fenômenos da Natureza, é do Hemisfério Norte que provêm a maioria do material alegórico do drama dos Mistérios como os conhecemos atualmente e como eram conhecidos pelos Antigos.

Todavia, espiritualmente interpretadas as alegorias dos povos do Hemisfério Norte são universalmente aplicáveis. É a idéia de Primavera, - eternamente nova na Mente de Deus - , que importa para a alma. Na consciência espiritual não existe tempo ou espaço. no Mundo dos Arquétipos só existem o Aqui e o Agora.

A alma do ano se abre para o aspirante no Equinócio de Outono, época em que um novo impulso espiritual desce sobre a Terra, estimulando o despertar da consciência espiritual do homem. Em consonância com este impulso o aspirante trabalha espiritualmente na produção da Pedra Filosofal.

É o aspecto astronômico e não os aspectos geofísicos das Estações que importam nos Mistérios, que se articulam diretamente com as Forças Arquetípicas.

Observando o lugar onde está geograficamente situado, o primeiro trabalho do Neófito - a Preparação através da Purificação - é o trabalho do Equinócio de Outono. O Segundo Trabalho - Dedicação - pertence ao Solstício de Inverno. O Terceiro Trabalho - Ressurreição ( transmutação, nova vida) - ao Equinócio da Primavera. E o Quarto Trabalho, - Consumação (transformação) - pertence ao Solstício de Verão.

O Cristo é um Ser Cósmico e Sua Vida está marcada por caracteres estelares. A Iniciação dos Mistérios Cristãos é também um processo cósmico que acelera a Evolução Humana, estando relacionada com o Ciclo Crístico ao longo do Ano Solar.


Os Corpos Celestes e os Ritos Religiosos

As Festas Móveis são reguladas pela Páscoa, que é a festa

eclesiástica reguladora de todas as demais festas eclesiásticas móveis do ano . A fixação da Páscoa para os judeus e cristãos se baseia na... Lua Cheia posterior à entrada do Sol em Áries, ainda que com a diferença de que os judeus a celebram neste próprio dia e os cristãos no domingo seguinte. O domingo, do latim Domini Dies, o dia do Sol, é considerado o dia da ressurreição do Senhor.

No calendário gregoriano, a Páscoa deve cair entre 22 de março e 25 de abril, e as demais festas móveis variam em relação à variação da data da comemoração da Páscoa.

 Atualmente pouquíssimas pessoas guardam algum conceito do significado espiritual das festas eclesiásticas comumente observadas. Ainda que as Igrejas Católica Romana e Anglicana da Inglaterra observem tais solenidades festivas, seu significado interno tem se perdido amplamente. Tais festas religiosas estão intimamente relacionadas com o ciclo do Cristo Cósmico através do ano tendo como pontos cardeais os Solstícios de Verão e Inverno e os Equinócios de Primavera e Outono. Nos Equinócios o dia e a noite apresentam a mesma duração. No Solstício de Inverno, a noite é mais longa e no Solstício de Verão o dia é maior que a noite.

No Hemisfério norte é costume pensar o ano Solar (distinto do calendário anual gregoriano) começando no Equinócio da Primavera, quando o Sol transita de Peixes para Áries. As estações estão invertidas no Hemisfério Sul. No nosso Hemisfério Sul a Primavera está associada com o Equinócio em Virgo-Libra; porém o tempo do começo da Primavera varia de latitude a latitude, do equador aos pólos, em ambos os hemisférios.

Como os Mistérios da chamada Época Ária foram estabelecidos amplamente no Hemisfério Norte ( que incluía a maior área da Terra e a maioria de sua população) e como os Mistérios Arcanos incluíam grandes espetáculos dramáticos representativos dos fenômenos da Natureza, é do Hemisfério Norte que provêm a maioria do material alegórico do drama dos Mistérios como os conhecemos atualmente e como eram conhecidos pelos Antigos.

Todavia, espiritualmente interpretadas as alegorias dos povos do Hemisfério Norte são universalmente aplicáveis. É a idéia de Primavera, - eternamente nova na Mente de Deus - , que importa para a alma. Na consciência espiritual não existe tempo ou espaço. no Mundo dos Arquétipos só existem o Aqui e o Agora.

A alma do ano se abre para o aspirante no Equinócio de Outono, época em que um novo impulso espiritual desce sobre a Terra, estimulando o despertar da consciência espiritual do homem. Em consonância com este impulso o aspirante trabalha espiritualmente na produção da Pedra Filosofal.

É o aspecto astronômico e não os aspectos geofísicos das Estações que importam nos Mistérios, que se articulam diretamente com as Forças Arquetípicas.

Observando o lugar onde está geograficamente situado, o primeiro trabalho do Neófito - a Preparação através da Purificação - é o trabalho do Equinócio de Outono. O Segundo Trabalho - Dedicação - pertence ao Solstício de Inverno. O Terceiro Trabalho - Ressurreição ( transmutação, nova vida) - ao Equinócio da Primavera. E o Quarto Trabalho, - Consumação (transformação) - pertence ao Solstício de Verão.

O Cristo é um Ser Cósmico e Sua Vida está marcada por caracteres estelares. A Iniciação dos Mistérios Cristãos é também um processo cósmico que acelera a Evolução Humana, estando relacionada com o Ciclo Crístico ao longo do Ano Solar.

Sem comentários: