Donar

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Leonardo Da Vinci

Foto: Leonardo Da Vinci

(1452-1519)
 O Gênio Rosacruciano

Não é de um momento para outro, ou numa só vida no mundo físico que um Ego obtém qualidades para além do comum dos mortais.

Por isso, no caso de Leonardo, como em outros, já em vidas anteriores souberam aproveitar as oportunidades como criaram outras de modo que possuíam uma riqueza interior onde brilhava a sabedoria.

Quando nasce em Vinci, localidade muito perto de Florença, uma criança de elevada estatura espiritual e cultural, em 15 de Abril de 1452, a quem lhe foi dado o nome de Leonardo, filho do amor entre uma camponesa de nome Catarina e de um advogado apelidado de Piero da Vinci, estávamos perante um Ego avançado. Como era de esperar os costumes convencionais e outros cristalizados, como mentes feudais, não permitiram que esse amor desse mais frutos. Logo o menino de famílias ricas teve de se casar com alguém do seu estatuto.

Resultado, Leonardo nunca conheceu a mãe, o amor maternal muito importante faltou-lhe, estava recebendo o que teria semeado. Contudo acabaria por ser educado com meios suficientes numa paisagem cheia de bucolismo que lhe seria benéfica e em parte a mãe natura veio ajudá-lo a substituir o amor maternal. Isto viria a ter influência nos seus trabalhos.

Quando o pai tem conhecimento das qualidades do filho para desenho e não só, eis que o manda para Florença, mais precisamente para a oficina de Verrocchio, onde iria encontrar Botticelli e outros. Com o rosacruciano Botticelli a amizade surge e irá dar os seus frutos, alicerçados em alguns ideais comuns.

Estávamos no ano 1469 e aqui fica até 1482 ano em que segue para Milão.
 
 
Leonardo Da Vinci

(1452-1519)
O Gênio Rosacruciano

Não é de um momento para outro, ou numa só vida no mundo físico que um Ego obtém qualidades para além do comum dos mortais....

Por isso, no caso de Leonardo, como em outros, já em vidas anteriores souberam aproveitar as oportunidades como criaram outras de modo que possuíam uma riqueza interior onde brilhava a sabedoria.

Quando nasce em Vinci, localidade muito perto de Florença, uma criança de elevada estatura espiritual e cultural, em 15 de Abril de 1452, a quem lhe foi dado o nome de Leonardo, filho do amor entre uma camponesa de nome Catarina e de um advogado apelidado de Piero da Vinci, estávamos perante um Ego avançado. Como era de esperar os costumes convencionais e outros cristalizados, como mentes feudais, não permitiram que esse amor desse mais frutos. Logo o menino de famílias ricas teve de se casar com alguém do seu estatuto.

Resultado, Leonardo nunca conheceu a mãe, o amor maternal muito importante faltou-lhe, estava recebendo o que teria semeado. Contudo acabaria por ser educado com meios suficientes numa paisagem cheia de bucolismo que lhe seria benéfica e em parte a mãe natura veio ajudá-lo a substituir o amor maternal. Isto viria a ter influência nos seus trabalhos.

Quando o pai tem conhecimento das qualidades do filho para desenho e não só, eis que o manda para Florença, mais precisamente para a oficina de Verrocchio, onde iria encontrar Botticelli e outros. Com o rosacruciano Botticelli a amizade surge e irá dar os seus frutos, alicerçados em alguns ideais comuns.

Estávamos no ano 1469 e aqui fica até 1482 ano em que segue para Milão
 
 
Foto: O Homem Vitruviano é um desenho famoso que acompanhava as notas que Leonardo da Vinci fez ao redor do ano 1490 num dos seus diários. Descreve uma figura masculina desnuda separadamente e simultaneamente em duas posições sobrepostas com os braços inscritos num círculo e num quadrado. A cabeça é calculada como sendo um oitavo da altura total. Às vezes, o desenho e o texto são chamados de Cânone das Proporções. O desenho actualmente faz parte da colecção/coleção da Gallerie dell'Accademia (Galeria da Academia) em Veneza, Itália. Examinando o desenho, pode ser notado que a combinação das posições dos braços e pernas formam quatro posturas diferentes. As posições com os braços em cruz e os pés são inscritas juntas no quadrado. Por outro lado, a posição superior dos braços e das pernas é inscrita no círculo. Isto ilustra o princípio que na mudança entre as duas posições, o centro aparente da figura parece se mover, mas de fato o umbigo da figura, que é o verdadeiro centro de gravidade, permanece imóvel. O Homem Vitruviano é baseado numa famosa passagem do arquitecto/arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio na sua série de dez livros intitulados de De Architectura, um tratado de arquitetura em que, no terceiro livro, ele descreve as proporções do corpo humano
 
 
 
O Homem Vitruviano é um desenho famoso que acompanhava as notas que Leonardo da Vinci fez ao redor do ano 1490 num dos seus diários. Descreve uma figura masculina desnuda separadamente e simultaneamente em duas posições sobrepostas com os b...raços inscritos num círculo e num quadrado. A cabeça é calculada como sendo um oitavo da altura total. Às vezes, o desenho e o texto são chamados de Cânone das Proporções. O desenho actualmente faz parte da colecção/coleção da Gallerie dell'Accademia (Galeria da Academia) em Veneza, Itália. Examinando o desenho, pode ser notado que a combinação das posições dos braços e pernas formam quatro posturas diferentes. As posições com os braços em cruz e os pés são inscritas juntas no quadrado. Por outro lado, a posição superior dos braços e das pernas é inscrita no círculo. Isto ilustra o princípio que na mudança entre as duas posições, o centro aparente da figura parece se mover, mas de fato o umbigo da figura, que é o verdadeiro centro de gravidade, permanece imóvel. O Homem Vitruviano é baseado numa famosa passagem do arquitecto/arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio na sua série de dez livros intitulados de De Architectura, um tratado de arquitetura em que, no terceiro livro, ele descreve as proporções do corpo humano

Sem comentários: