Donar

segunda-feira, 31 de março de 2014

A Bíblia

Bíblia


Foto: A Bíblia foi dada ao mundo ocidental pelos Anjos do Destino (também chamados de Anjos Relatores, Senhores do Destino, Anjos Arquivadores) que, estando acima de todo o erro, dão a cada um e a todos exatamente o que necessitam para o seu desenvolvimento. Por conseguinte, se procurarmos a Luz, encontrá-la-emos na Bíblia. Os Ensinamentos da Sabedoria Ocidental dos Rosacruzes estão completamente de acordo com a Bíblia. A Bíblia é de significado universal. Os registros biográficos são secundários. Seu significado primário está nas entrelinhas e refere-se ao caminho de desenvolvimento espiritual de todo Ser Humano. Os estudiosos da Bíblia geralmente não conseguem enxergar a verdade esotérica. Frequentemente nos referimos à Bíblia como “O maravilhoso Livro das Épocas”. Isto é evidenciado pelo fato de que quanto mais se avança no caminho espiritual, mais se revelam os maravilhosos segredos escondidos nas Escrituras. Conforme ingressamos na iluminação da Era de Aquário, compreendemos que a Bíblia não é apenas um Livro Supremo da Luz, mas um Livro que desperta na sua consciência os profundos mistérios e verdades inimagináveis. Os espiritualmente iluminados sempre consideraram que cada lugar mencionado na Bíblia representa o aqui e agora, e cada personagem mencionado é você, você mesmo. Quando se lê a Bíblia a luz do conhecimento esotérico, as cerimônias das religiões exotéricas são apenas frações mutiladas dos verdadeiros rituais que se encontram nela.


A Bíblia foi dada ao mundo ocidental pelos Anjos do Destino (também chamados de Anjos Relatores, Senhores do Destino, Anjos Arquivadores) que, estando acima de todo o erro, dão a cada um e a todos exatamente o que necessitam para o seu dese...nvolvimento. Por conseguinte, se procurarmos a Luz, encontrá-la-emos na Bíblia. Os Ensinamentos da Sabedoria Ocidental dos Rosacruzes estão completamente de acordo com a Bíblia. A Bíblia é de significado universal. Os registros biográficos são secundários. Seu significado primário está nas entrelinhas e refere-se ao caminho de desenvolvimento espiritual de todo Ser Humano. Os estudiosos da Bíblia geralmente não conseguem enxergar a verdade esotérica. Frequentemente nos referimos à Bíblia como “O maravilhoso Livro das Épocas”. Isto é evidenciado pelo fato de que quanto mais se avança no caminho espiritual, mais se revelam os maravilhosos segredos escondidos nas Escrituras. Conforme ingressamos na iluminação da Era de Aquário, compreendemos que a Bíblia não é apenas um Livro Supremo da Luz, mas um Livro que desperta na sua consciência os profundos mistérios e verdades inimagináveis. Os espiritualmente iluminados sempre consideraram que cada lugar mencionado na Bíblia representa o aqui e agora, e cada personagem mencionado é você, você mesmo. Quando se lê a Bíblia a luz do conhecimento esotérico, as cerimônias das religiões exotéricas são apenas frações mutiladas dos verdadeiros rituais que se encontram nela.
                 
Foto: ) ¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨) (¸.•´ (¸.•` ╰☆ ASTROLOGIA ESPIRITUAL E AJUDA *´¨) ¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨) (¸.•´ (¸.•` ╰☆TEl: 927138620/ 965802491 / ☆ •.¸¸.•´´¯`••._.•" ☆ •.¸¸.•´´¯`••._.•"TEL 272344314*´¨) ¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨) (¸.•´ (¸.•` ╰☆ ☆ •.¸¸.•´´¯`••._
 
 
 
 
 
)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` ╰☆ ASTROLOGIA ESPIRITUAL E AJUDA *´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` ╰☆TEl: 927138620/ 965802491 / ☆ •.¸¸.•´´¯`••._.•" ☆ •.¸¸.•´´¯`••._.•"TEL 272344314*´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` ╰☆ ☆ •.¸¸.•´´¯`••._
 
 
                       

VOCÊ ESTÁ AJUDANDO SEUS ASTROS ?

Foto: VOCÊ ESTÁ AJUDANDO SEUS ASTROS ? Cooperação Cooperação Por outro lado, pergunta-se: Por que as boas influências não trazem um correspondente benefício? E a resposta à essa pergunta é a mesma falta de cooperação; é tão necessário ajudar nossos astros por um lado quanto impedi-los por outro. Você está desempregado, talvez, as finanças da família diminuindo e nenhuma saída à vista para recuperá-las, mas, com suas esperanças centradas em uma única direção tal como, talvez, um trino da Lua progredida com o regente da 6ª casa ou do Sol. Sob estas condições você sente, do ponto de vista astrológico, que irá conseguir um bom emprego que equilibrará a sua vida. Pois bem, você pode estar certo de que a oportunidade virá, mas não espere que caia no seu colo sem um único esforço de sua parte. Se uma coisa vale a pena, é válido correr atrás, é válido fazer o máximo de esforço para alcançá-la. Não negligencie nenhum detalhe: vista-se cuidadosamente, mas não exageradamente, quando for ver a pessoa que tem o poder de lhe conceder a oportunidade. Lembre-se de que a primeira impressão é importante. Tenha toda a sua munição pronta em termos de indicações e tudo mais que você precisa ter para não depender de um aspecto astrológico para ajudá-lo a conseguir a posição. Use todos os meios apropriados para impressionar o empregador em perspectiva com sua habilidade e você pode confiar que seu esforço vai ser recompensado, pois você ajudou seus astros. Você agarrou sua oportunidade. Bom Senso Ou você está prestes a se aventurar numa sociedade com alguém, sentindo-se confiante porque a Lua está em trino com o Sol e Vênus na 7ª casa? Tenha cuidado para não menosprezar sua precaução neste fato, pensando que, sob tal influência, ninguém que entre nesta sociedade não seja bom. Se você fizer isso, negligenciará a sua parte e não terá razão para culpar os astros se, mais tarde, for constatado que a pessoa não é tudo o que você esperava que fosse. Nada é tão necessário no mundo de hoje do que ter bom senso (ou discriminação) e isto se aplica ao departamento de Astrologia, bem como a todos os outros departamentos da vida. A oportunidade pode ser comparada a um tobogã entre nós e nossos desejos: é necessário fazer um esforço inicial adequado para lançar nosso trenó sobre esta inclinação, mas, uma vez que tenhamos feito a nossa parte, então tudo andará sob condições favoráveis. Desta maneira, os astros estarão conosco para impressionar os outros em nosso nome ou para reforçar nosso poder penetrante a fim de que possamos saber o que é melhor para nós.



VOCÊ ESTÁ AJUDANDO SEUS ASTROS ?





Cooperação
Cooperação Por outro lado, pergunta-se: Por que as boas influências não trazem um correspondente benefício? E a resposta à essa pergunta é a mesma falta de cooperação; é tão necessário ajudar no...ssos astros por um lado quanto impedi-los por outro. Você está desempregado, talvez, as finanças da família diminuindo e nenhuma saída à vista para recuperá-las, mas, com suas esperanças centradas em uma única direção tal como, talvez, um trino da Lua progredida com o regente da 6ª casa ou do Sol. Sob estas condições você sente, do ponto de vista astrológico, que irá conseguir um bom emprego que equilibrará a sua vida. Pois bem, você pode estar certo de que a oportunidade virá, mas não espere que caia no seu colo sem um único esforço de sua parte. Se uma coisa vale a pena, é válido correr atrás, é válido fazer o máximo de esforço para alcançá-la. Não negligencie nenhum detalhe: vista-se cuidadosamente, mas não exageradamente, quando for ver a pessoa que tem o poder de lhe conceder a oportunidade. Lembre-se de que a primeira impressão é importante. Tenha toda a sua munição pronta em termos de indicações e tudo mais que você precisa ter para não depender de um aspecto astrológico para ajudá-lo a conseguir a posição. Use todos os meios apropriados para impressionar o empregador em perspectiva com sua habilidade e você pode confiar que seu esforço vai ser recompensado, pois você ajudou seus astros. Você agarrou sua oportunidade. Bom Senso Ou você está prestes a se aventurar numa sociedade com alguém, sentindo-se confiante porque a Lua está em trino com o Sol e Vênus na 7ª casa? Tenha cuidado para não menosprezar sua precaução neste fato, pensando que, sob tal influência, ninguém que entre nesta sociedade não seja bom. Se você fizer isso, negligenciará a sua parte e não terá razão para culpar os astros se, mais tarde, for constatado que a pessoa não é tudo o que você esperava que fosse. Nada é tão necessário no mundo de hoje do que ter bom senso (ou discriminação) e isto se aplica ao departamento de Astrologia, bem como a todos os outros departamentos da vida. A oportunidade pode ser comparada a um tobogã entre nós e nossos desejos: é necessário fazer um esforço inicial adequado para lançar nosso trenó sobre esta inclinação, mas, uma vez que tenhamos feito a nossa parte, então tudo andará sob condições favoráveis. Desta maneira, os astros estarão conosco para impressionar os outros em nosso nome ou para reforçar nosso poder penetrante a fim de que possamos saber o que é melhor para nós.

terça-feira, 25 de março de 2014

Como Áries é o primeiro signo de Zodíaco

Foto: Como Áries é o primeiro signo de Zodíaco, ele é o local de novos começos. Nos ciclos anuais das passagens do Sol pelos doze signos, ele anuncia o início do ano espiritual. Ele tem sido assim visto mesmo nas nações em que o ano civil se inicia em outros signos do Zodíaco. Moisés indicou o mês de Abib (março-abril) como o começo do ano (Ex 13:4), por ser o mês da germinação do trigo e do milho. Uma ordem também foi dada a Moisés de que a imolação do cordeiro pascal deveria ocorrer quando a Lua Nova estivesse em Áries. No tempo da Páscoa original, o Sol achava-se próximo da estrela El Natik, que significava perfurado, ferido, imolado. A Lua Cheia estava então próxima à estrela Al Sheraton, que também significa machucado ou ferido. Como a Páscoa antecedeu a crucificação de Jesus Cristo, então os Céus proclamam a vinda de grandes acontecimentos para o destino da humanidade.

 

As palavras chave para Áries são pureza e sacrifício, e o símbolo de Áries é um cordeiro ou carneiro. Uma vez que foi sob a égide de Áries que o Senhor Cristo veio à Terra, ele é conhecido como o Bom Pastor. Uma representação pictórica bem conhecida mostra o Senhor carregando um cordeiro nos braços.

 

Durante os primeiros anos da era Cristã, como tem sido dito, o símbolo mais usado não foi o do Cristo crucificado, mas a cruz com um cordeiro repousando em sua base. Não foi senão pelo quarto século de nossa era que o cordeiro foi substituído por uma figura humana pregada na cruz.

 

Há duas cartas do Tarô que representam Áries, uma é a do Bufão e outra a do Alto Sacerdote. O primeiro representa um jovem com uma sacola sobre os ombros e uma rosa aberta na mão. Ele caminha para frente, destemido e ousado, para enfrentar os desafios da vida. É chamado de bufão porque ainda não iniciou sua busca e ninguém verdadeiramente compreende a vida enquanto não entrar no Caminho da Santidade. A outra carta mostra um Alto Sacerdote sentado em um trono, com um halo de luz dourada sobre a sua cabeça. Com ele, estão duas das mais sagradas relíquias, o santo cálice e a sagrada lança. Em sua mão direita, segura o cálice cheio das paixões humanas. Sobre este, colocou sua mão esquerda, indicando que ele obteve domínio sobre os elementos de sua natureza inferior. Essa figura retrata com detalhes a mais elevada expressão de Áries: autocontrole. As palavras do sábio Rei Salomão carregam a nota chave bíblica dessa conquista: “aquele que demora a se zangar é melhor que aquele que é poderoso e aquele que governa seu espírito é melhor que o que toma uma cidade!” Em um estágio mais elevado, o seguinte texto da Revelação se aplica: “Veja, eu faço novas todas as coisas.”

 

Richard Wagner, o Iniciado músico, fundamentou sua magnífica peça espiritual sobre Parsifal, na verdade oculta na simbologia dessas duas cartas do Tarot. Parsifal, o verdadeiro tolo, entra casualmente, como assim o foi, nas terras do Castelo do Graal. Involuntariamente, mata um cisne que flutuava nas águas do lago de cura. Através de seu sofrimento e contrição pela má ação cometida, sua alma desperta e ele entra no Caminho da Busca. Ele agora precisa sair pelo mundo para ser tentado para provar sua força, sua coragem e sua perseverança. Wagner disse que o tema de Parsifal era para ser enquadrado no tema “ forte é o poder do desejo, mas mais forte ainda é o poder anímico ganho através da resistência”. No fim, Parsifal retorna para tornar-se o Alto Sacerdote do Salvat ou Rei dos Cavaleiros do Graal. Usando o traje branco de Mestre e carregando a lança sagrada, ele entra no Templo do Graal para curar o ferimento de Amfortas. Depois disso feito, ele torna-se o instrutor dos Cavaleiros do Graal e o guardião fiel do Cálice Sagrado.

 

O que proporciona a transformação do tolo em Alto Sacerdote? O que transmuta um homem mortal em um que demonstra divindade? É o despertar do grande princípio do EU SOU dentro de si mesmo. É a Ressurreição de seu próprio Espírito Crístico. Esse é o tema do antigo cântico do Templo que ecoa o mais elevado conceito da ressurreição:

 

Antes de todos os mundos, Eu fui!

Através de todos os mundos, Eu sou!

Quando todos os mundos forem apenas lembranças, Eu serei!

 

Na época da Páscoa, quando o Sol ascende do hemisfério sul para o norte, as forças de Cristo passam dos reinos físicos para os espirituais. O corpo da Terra é como o corpo do homem. É interpenetrado pelos veículos mais sutis que se estendem para muito além do corpo físico do planeta.

 

Repetindo, durante os seis meses do ano em que o Sol passa pelos seis signos abaixo do Equador e, pelos seis meses seguintes, quando passa pelos seis signos acima do Equador, a força de Cristo interpenetra os mais elevados reinos espirituais da Terra. Esses reinos são o lar da chamada morte, a região onde eles prosseguem com suas atividades normais por um tempo num ambiente de encantadora beleza e radiância. É aí que os Anjos e Arcanjos conduzem seus vários ministérios para os habitantes do planeta e sua descendência.

 

Quando o Sol entra em Áries, ele aponta para a Ressurreição gloriosa, iniciando a estação da transmutação do ano. Então as águas brancas de Peixes se fundem com o fogo vermelho de Áries, uma combinação que se manifesta na exuberância de flores e canções da primavera. É também, para o homem, a estação de transmutação, a época mais propícia para ele arremessar longe a pedra de sua vida passada e aflorar no poder total de uma consciência ressuscitada. Assim como a natureza troca a melancolia do sono do inverno pelo resplendor da primavera, e o Cristo transcende a agonia do Gólgota pela exaltação da alvorada da Ressurreição, do mesmo modo o discípulo que  fervorosa e persistentemente acompanhou o Cristo no íngreme e estreito caminho  tem a sua própria ressurreição nos recém despertados poderes de Cristo dentro de si mesmo.

 

Essa é a ocasião em que uma transformação surpreendente pode ocorrer dentro de seu corpo templo. Uma nova força emana do líquido branco de seus nervos e se une com uma nova essência nas correntes vermelhas de seu sangue, uma fusão que produz a luz dourada que infunde e envolve o corpo de um Iluminado. São João se referia a essa transformação quando escreveu que algum dia iremos andar na Luz como Ele está na Luz. Vermelho e branco são as cores de Áries e são também as cores da transmutação tanto na Natureza como no homem.
 
 
Como Áries é o primeiro signo de Zodíaco, ele é o local de novos começos. Nos ciclos anuais das passagens do Sol pelos doze signos, ele anuncia o início do ano espiritual. Ele tem sido assim visto mesmo nas nações em que o ano civil se inic...ia em outros signos do Zodíaco. Moisés indicou o mês de Abib (março-abril) como o começo do ano (Ex 13:4), por ser o mês da germinação do trigo e do milho. Uma ordem também foi dada a Moisés de que a imolação do cordeiro pascal deveria ocorrer quando a Lua Nova estivesse em Áries. No tempo da Páscoa original, o Sol achava-se próximo da estrela El Natik, que significava perfurado, ferido, imolado. A Lua Cheia estava então próxima à estrela Al Sheraton, que também significa machucado ou ferido. Como a Páscoa antecedeu a crucificação de Jesus Cristo, então os Céus proclamam a vinda de grandes acontecimentos para o destino da humanidade.



As palavras chave para Áries são pureza e sacrifício, e o símbolo de Áries é um cordeiro ou carneiro. Uma vez que foi sob a égide de Áries que o Senhor Cristo veio à Terra, ele é conhecido como o Bom Pastor. Uma representação pictórica bem conhecida mostra o Senhor carregando um cordeiro nos braços.



Durante os primeiros anos da era Cristã, como tem sido dito, o símbolo mais usado não foi o do Cristo crucificado, mas a cruz com um cordeiro repousando em sua base. Não foi senão pelo quarto século de nossa era que o cordeiro foi substituído por uma figura humana pregada na cruz.



Há duas cartas do Tarô que representam Áries, uma é a do Bufão e outra a do Alto Sacerdote. O primeiro representa um jovem com uma sacola sobre os ombros e uma rosa aberta na mão. Ele caminha para frente, destemido e ousado, para enfrentar os desafios da vida. É chamado de bufão porque ainda não iniciou sua busca e ninguém verdadeiramente compreende a vida enquanto não entrar no Caminho da Santidade. A outra carta mostra um Alto Sacerdote sentado em um trono, com um halo de luz dourada sobre a sua cabeça. Com ele, estão duas das mais sagradas relíquias, o santo cálice e a sagrada lança. Em sua mão direita, segura o cálice cheio das paixões humanas. Sobre este, colocou sua mão esquerda, indicando que ele obteve domínio sobre os elementos de sua natureza inferior. Essa figura retrata com detalhes a mais elevada expressão de Áries: autocontrole. As palavras do sábio Rei Salomão carregam a nota chave bíblica dessa conquista: “aquele que demora a se zangar é melhor que aquele que é poderoso e aquele que governa seu espírito é melhor que o que toma uma cidade!” Em um estágio mais elevado, o seguinte texto da Revelação se aplica: “Veja, eu faço novas todas as coisas.”



Richard Wagner, o Iniciado músico, fundamentou sua magnífica peça espiritual sobre Parsifal, na verdade oculta na simbologia dessas duas cartas do Tarot. Parsifal, o verdadeiro tolo, entra casualmente, como assim o foi, nas terras do Castelo do Graal. Involuntariamente, mata um cisne que flutuava nas águas do lago de cura. Através de seu sofrimento e contrição pela má ação cometida, sua alma desperta e ele entra no Caminho da Busca. Ele agora precisa sair pelo mundo para ser tentado para provar sua força, sua coragem e sua perseverança. Wagner disse que o tema de Parsifal era para ser enquadrado no tema “ forte é o poder do desejo, mas mais forte ainda é o poder anímico ganho através da resistência”. No fim, Parsifal retorna para tornar-se o Alto Sacerdote do Salvat ou Rei dos Cavaleiros do Graal. Usando o traje branco de Mestre e carregando a lança sagrada, ele entra no Templo do Graal para curar o ferimento de Amfortas. Depois disso feito, ele torna-se o instrutor dos Cavaleiros do Graal e o guardião fiel do Cálice Sagrado.



O que proporciona a transformação do tolo em Alto Sacerdote? O que transmuta um homem mortal em um que demonstra divindade? É o despertar do grande princípio do EU SOU dentro de si mesmo. É a Ressurreição de seu próprio Espírito Crístico. Esse é o tema do antigo cântico do Templo que ecoa o mais elevado conceito da ressurreição:



Antes de todos os mundos, Eu fui!

Através de todos os mundos, Eu sou!

Quando todos os mundos forem apenas lembranças, Eu serei!



Na época da Páscoa, quando o Sol ascende do hemisfério sul para o norte, as forças de Cristo passam dos reinos físicos para os espirituais. O corpo da Terra é como o corpo do homem. É interpenetrado pelos veículos mais sutis que se estendem para muito além do corpo físico do planeta.



Repetindo, durante os seis meses do ano em que o Sol passa pelos seis signos abaixo do Equador e, pelos seis meses seguintes, quando passa pelos seis signos acima do Equador, a força de Cristo interpenetra os mais elevados reinos espirituais da Terra. Esses reinos são o lar da chamada morte, a região onde eles prosseguem com suas atividades normais por um tempo num ambiente de encantadora beleza e radiância. É aí que os Anjos e Arcanjos conduzem seus vários ministérios para os habitantes do planeta e sua descendência.



Quando o Sol entra em Áries, ele aponta para a Ressurreição gloriosa, iniciando a estação da transmutação do ano. Então as águas brancas de Peixes se fundem com o fogo vermelho de Áries, uma combinação que se manifesta na exuberância de flores e canções da primavera. É também, para o homem, a estação de transmutação, a época mais propícia para ele arremessar longe a pedra de sua vida passada e aflorar no poder total de uma consciência ressuscitada. Assim como a natureza troca a melancolia do sono do inverno pelo resplendor da primavera, e o Cristo transcende a agonia do Gólgota pela exaltação da alvorada da Ressurreição, do mesmo modo o discípulo que fervorosa e persistentemente acompanhou o Cristo no íngreme e estreito caminho tem a sua própria ressurreição nos recém despertados poderes de Cristo dentro de si mesmo.



Essa é a ocasião em que uma transformação surpreendente pode ocorrer dentro de seu corpo templo. Uma nova força emana do líquido branco de seus nervos e se une com uma nova essência nas correntes vermelhas de seu sangue, uma fusão que produz a luz dourada que infunde e envolve o corpo de um Iluminado. São João se referia a essa transformação quando escreveu que algum dia iremos andar na Luz como Ele está na Luz. Vermelho e branco são as cores de Áries e são também as cores da transmutação tanto na Natureza como no homem.
 
 
 
 
 
 
Foto: Curta e compartilhe nossa página => Guia do Animal

Auto-conhecimento e Espiritualidade

Foto: Auto-conhecimento e Espiritualidade

Meu Irmão...

... nunca pensaste na hora em que possas conhecer-te a ti mesmo?

Queres iniciar, hoje, a fazer reais esforços para alcançar essa inefável virtude? Ela é tão preciosa para o espírito, que Goethe, um iluminado ser, dizia:

"Quando o homem se conheça a si mesmo, libertar-se-á das cadeias que o prendem a este mundo". 

Bem...se queres começar agora mesmo, acalma, primeiro, o tumulto de tuas vozes internas. Senta-te comodamente. Respira com sossego e naturalidade. Fecha os olhos.

Depois pergunta-te: "Quem sou eu, em realidade?" Pensa lentamente, mas com determinação. Procura conhecer-te em todas tuas facetas. Esquadrinha profundamente teu mundo mental, definindo-o com leal exatidão.

Pergunta-te honestamente: "Qual é meu objetivo sobre a Terra?" Se chegas a responder-te, de acordo aos conhecimentos que possuis, de um modo consciente e claro, tuas possibilidades de progresso são imensamente melhores

O objetivo do ser humano na Terra caminha paralelamente a seu grau de inteligência. Quando se chega a um grau de consciente responsabilidade, delineando ampla e precisamente os propósitos espirituais que se tem, passa-se a estar na proporção de cinqüenta por cento no caminho verdadeiro.  

De nada valem todas as filosofias sobre a vida, se a humanidade não se define a si mesma. Uma pessoa pode passar estudando as coisas do espírito vinte, trinta anos, uma existência enfim, e não obter mais que uma erudição  intelectual.  

Portanto, amigo, sê teu próprio juiz, com o máximo rigor, com a maior severidade, efetuando a necessária devassa em tua vida interna.  

Averigua, em teu íntimo, o que procuras no caminho espiritual: conhecer-te ou ignorar-te? Acaso, será que queres passar a existência filosofando inutilmente, sem tentar a reforma interna, sem divisar com clareza tuas reais ânsias e aspirações?  

Ou desejas, pelo contrário, constatar tuas imperfeições, conhecer tuas falhas e debilidades, a fim de transmutar tuas fraquezas, conscientemente, e empreender uma nova etapa em tua vida, para viver o que estudas e compreendes, procurando elevar-te na conquista da evolução celeste, e ser, desde  este momento, por primeira  vez em tua aprendizagem na Terra, espiritualmente sincero e leal com teu próprio Ser espiritual?  

Se te respondes positiva e convictamente, e procedes em teu íntimo em harmonia com as respostas que te deres, então deixarás de representar uma simples folha levada à vontade do vento, para passar a governar sabiamente o timão de tua presente vida, de teu destino, de tua finalidade divina!
 
Auto-conhecimento e Espiritualidade

Meu Irmão...

... nunca pensaste na hora em que possas conhecer-te a ti mesmo?
...
Queres iniciar, hoje, a fazer reais esforços para alcançar essa inefável virtude? Ela é tão preciosa para o espírito, que Goethe, um iluminado ser, dizia:

"Quando o homem se conheça a si mesmo, libertar-se-á das cadeias que o prendem a este mundo".

Bem...se queres começar agora mesmo, acalma, primeiro, o tumulto de tuas vozes internas. Senta-te comodamente. Respira com sossego e naturalidade. Fecha os olhos.

Depois pergunta-te: "Quem sou eu, em realidade?" Pensa lentamente, mas com determinação. Procura conhecer-te em todas tuas facetas. Esquadrinha profundamente teu mundo mental, definindo-o com leal exatidão.

Pergunta-te honestamente: "Qual é meu objetivo sobre a Terra?" Se chegas a responder-te, de acordo aos conhecimentos que possuis, de um modo consciente e claro, tuas possibilidades de progresso são imensamente melhores

O objetivo do ser humano na Terra caminha paralelamente a seu grau de inteligência. Quando se chega a um grau de consciente responsabilidade, delineando ampla e precisamente os propósitos espirituais que se tem, passa-se a estar na proporção de cinqüenta por cento no caminho verdadeiro.

De nada valem todas as filosofias sobre a vida, se a humanidade não se define a si mesma. Uma pessoa pode passar estudando as coisas do espírito vinte, trinta anos, uma existência enfim, e não obter mais que uma erudição intelectual.

Portanto, amigo, sê teu próprio juiz, com o máximo rigor, com a maior severidade, efetuando a necessária devassa em tua vida interna.

Averigua, em teu íntimo, o que procuras no caminho espiritual: conhecer-te ou ignorar-te? Acaso, será que queres passar a existência filosofando inutilmente, sem tentar a reforma interna, sem divisar com clareza tuas reais ânsias e aspirações?

Ou desejas, pelo contrário, constatar tuas imperfeições, conhecer tuas falhas e debilidades, a fim de transmutar tuas fraquezas, conscientemente, e empreender uma nova etapa em tua vida, para viver o que estudas e compreendes, procurando elevar-te na conquista da evolução celeste, e ser, desde este momento, por primeira vez em tua aprendizagem na Terra, espiritualmente sincero e leal com teu próprio Ser espiritual?

Se te respondes positiva e convictamente, e procedes em teu íntimo em harmonia com as respostas que te deres, então deixarás de representar uma simples folha levada à vontade do vento, para passar a governar sabiamente o timão de tua presente vida, de teu destino, de tua finalidade divina!
 

Retardo Mental

Foto: Retardo Mental 

O retardamento mental é um dos mais trágicos problemas sociais e 
ainda um dos menos compreendidos. Anos atrás, os retardados 
mentais eram marginalizados, considerados incapazes de receber 
qualquer ajuda, suas condições eram consideradas horríveis e 
deploráveis e eram obrigados a viver uma vida vegetativa, 
afastados do convívio das pessoas. 
Hoje em dia, com novos conhecimentos, existe uma compreensão 
maior para com estes desafortunados e atualmente as pessoas 
esclarecidas estão entendendo e permitindo que eles se tornem 
membros reconhecidos pela sociedade e, muitas vezes, podendo 
atuar com proveito dentro de seu limitado campo de 
possibilidades. 
De qualquer maneira, o progresso não anula a dor sentida pelos 
familiares destas pessoas tão tristemente afetadas. Se a causa do 
retardamento mental fosse melhor conhecida os conflitos e tortura 
experimentadas por estas pessoas poderiam ser mais atenuadas e a 
humanidade começaria a trabalhar mais conscientemente para dar 
uma eventual solução ao problema. 
O retardamento mental pode ser considerado uma enfermidade, 
como qualquer outra doença sofrida por uma pessoa, conseqüência 
de seu comportamento durante a presente vida ou nas vidas 
anteriores. De acordo com a Lei de Conseqüência, devemos colher 
aquilo que nós próprios semeamos e, se nossa conduta foi 
depravada ou nosso comportamento incorreto em qualquer 
sentido, devemos pagar essa dívida em novo renascimento físico, 
para assim poder evoluir. 
As aflições que afetam a humanidade podem ser divididas em duas 
categorias: Mentais e Físicas. As perturbações mentais são 
particularmente atribuídas ao abuso da função criadora. Assim 
como o Espírito Santo é a energia criadora na natureza, a energia 
sexual é seu reflexo no homem e o uso desmedido desta força é 
uma transgressão que devemos pagar em detrimento de nossos 
veículos, até que compreendamos a parte Santa da força criadora. 
Os ensinamentos ocultos explicam que esta força não deve ser 
usada para a gratificação sexual, mas sim para a propagação. O 
esbanjamento desta energia criadora poderia ser transmutado em 

energia espiritual e usado nos planos superiores como agente da 
Epigênesis, que é a capacidade de criar coisas novas. 
A ciência oculta também ensina que o cérebro e a laringe foram 
construídas pelos Anjos com a metade da força criadora do 
homem, o qual, antes da aquisição destes órgãos era bissexual e 
capaz de criar por si mesmo sem a cooperação de outra pessoa. 
Essa faculdade perdeu-se quando estes órgãos foram criados e 
agora é necessário a cooperação de outro ser do sexo oposto para 
gerar novos corpos para os espíritos que desejam renascer. Há, no 
entanto, uma conexão interna entre a atividade mental, a sexual e o 
poder da palavra. A evidência desta afirmativa baseia-se no caso 
dos maníacos do sexo, que terminam idiotas, incapazes de pensar 
corretamente porque estão continuamente ocupados em 
desperdiçar não somente a parte da força sexual que deveria ser 
usada para a propagação, mas também grande parte da força que 
poderia ser usada para construção do cérebro, fazendo-o capaz de 
produzir pensamentos. 
A visão espiritual revela que quando o homem estava em formação, 
havia uma corrente de desejos onde quer que agora haja um nervo. 
A própria mente e também a laringe foram feitas primeiramente de 
substância de desejos. O desejo enviava, primeiro, um impulso 
através da mente, criando correntes nervosas que faziam possível 
movimento do corpo e assim, obter a gratificação indicada pelo 
desejo. A palavra também é usada com o propósito de obter um 
objeto ou um fim desejado; através destas faculdades é que o 
homem obteve certo domínio sobre o mundo. 
Enquanto, sob a Lei de Conseqüência, ele toma para si um corpo 
novo, órgãos e faculdades que são similares as que abandonou na 
oportunidade anterior. Quando a paixão arruinou o corpo em uma 
vida, esta se estampa no átomo semente. Na próxima descida ao 
renascimento, é impossível ao Ego tomar um bom material e um 
corpo sadio. Vemos pois que o poderoso impulso que antes 
dominava sua mente, o qual deveria ser usado com propósito da 
regeneração, está ausente; falta-lhe iniciativa na vida e, por 
conseguinte, renasce impossibilitado e, muitas vezes, demente. 
É bom salientar que o Espírito não é, nem está demente: ele vê, 
conhece e tem um desejo veemente de usar o corpo, o que se torna 
impossível e, muitas vezes, não pode sequer enviar um simples 
impulso através dos nervos, pois os músculos do rosto e do corpo 
não estão sob o controle de sua vontade. Este fenômeno da falta de 
coordenação é o que torna a pessoa tão sofredora e também tão

lastimável a quem a vê. É desta forma que o Espírito aprende uma 
das mais duras lições da vida: o estar atado, viver em um corpo 
incapaz e impossibilitado de encontrar expressão através dele. A 
força necessária de desejos que acompanha o pensamento, a 
palavra e o movimento foram consumidos por um viver incorreto 
nas vidas anteriores e o Espírito renasce sem a energia necessária 
para manifestar-se em seu instrumento carnal. 
Há, no entanto, uma exceção a considerar, isto é, nem todos os 
retardados mentais estão nesse estado pelo abuso da função 
criadora em uma vida passada. Quando o Ego desce para o 
renascimento, ele vê o panorama de sua próxima vida, 
inteiramente dura, ele procura fugir da "escola da vida". Nessa 
ocasião, a conexão entre o corpo vital e os centros sensoriais do 
cérebro já foi realizado no feto, portanto, o esforço do Espírito ao 
tentar escapar do útero materno é frustrado. O "puxão" dado pelo 
Ego desregra as conexões dos centros sensitivos entre o corpo 
físico e o etérico e de tal forma que o corpo vital não se torna 
concêntrico em relação ao corpo físico, fazendo com que a cabeça 
etérica se estenda para fora do crânio físico. Daí ser impossível 
para o Espírito usar o veículo denso que ficou preso a um corpo 
sem mentalidade e o nascimento torna-se praticamente perdido. 
Também há casos, em outros períodos da vida, em que, devido a 
um forte susto, o Espírito tenta sair do corpo físico com seus 
veículos invisíveis. Como resultado, um "puxão" semelhante é dado 
pelos centros sensoriais do cérebro e o susto desarticula a 
expressão mental. Todos aqueles que já passaram por um grande 
susto, provavelmente já sentiram uma sensação de agitação como 
se alguma coisa estivesse tentando sair para fora do corpo físico. 
Esta sensação é causada pelos corpos vital e o de desejos, os quais 
atuam velozmente e de tal modo que um trem expresso é lento 
comparado a essa velocidade. 
Eles sentem o perigo e recebem antes mesmo que o susto seja 
transmitido ao inerte e lento corpo físico, no qual eles estão 
ancorados, e é ele que evita a fuga sob tais tensões. Algumas vezes, 
quando o estimulo é demasiado forte, produz-se uma desconexão 
sobre os centros etéricos sensoriais exatamente como quando se 
estica um elástico que pode depois recuperar sua elasticidade. 
Nestes casos, é mais fácil recuperar as faculdades mentais do que 
nos casos de demência congênita trazida de vidas passadas e que é 
a causa da conexão inadequada. 

Vemos, portanto, que o retardamento mental não é o resultado de uma injustiça da parte de Deus, nem pode ser considerado como um acidente infeliz, mas é o resultado da própria conduta do Ego, assim como são os casos de todas as doenças que afligem o homem. Portanto, o sofrimento de cada pessoa foi trazido por ela própria.
Sendo assim, os mentalmente retardados não devem ser olhados de forma restritiva, ao contrário, devem ser tratados com profunda simpatia e atenção. Todos os esforços devem ser feitos para que os atuais programas construtivos de educação continuem a expandir-se, assim como a técnica de auto-ajuda que começa a ser administrada a essas pessoas. Certamente é por meio da compreensão e do amor que elas poderão receber orientação para trabalhar dentro de suas limitadas condições físicas. Devemos incentivá-las para que se esforcem, que colaborem para que este renascimento não seja perdido e que esta oportunidade constitua a lição que tenham de aprender para que possam evoluir.
O retardamento mental está sendo mais compreendido e, em conseqüência, o atendimento a esse problema é maior, especialmente com a colaboração dos pais e educadores. No entanto, a humanidade deve fazer ainda muito mais. A esta altura da evolução e do desenvolvimento humano e tecnológico de nossa época, observamos ainda e com aflição, o uso impróprio da força criadora, a atitude moderna de permissividade para tudo, a tolerância para a moral corrompida, a indulgência sexual e o estímulo da sexualidade com a única finalidade da busca do prazer. Estas atitudes não ajudam o Ego que, pelo processo de renascimento, deveria evoluir e as conseqüências serão desastrosas no futuro para muitos membros da raça humana. Tal conduta deverá ser expiada e a indulgência para com a paixão, na vida presente, produzirá sofrimentos nesta vida ou em outras.
Todos nós já passamos por estados parecidos aos dos reinos mineral, vegetal e animal antes de estarmos, como estamos atualmente, na condição humana. Existem também evoluções superiores, as quais nos aproximam cada vez mais da Divindade. É nossa paixão animal que limita o caminho do êxito e da pureza.
É óbvio que pouco progresso material pode ser realizado por um retardado mental, mas pode haver um incalculável progresso espiritual.
No presente estado de evolução, toda nossa força vital - exceto a quantidade requerida para a propagação - pode ser transmutada em sublimação da mente, e as emoções, em força de alma.

Enquanto estes fatores não forem reconhecidos e aceitos pela maioria das pessoas e finalmente por todos, a raça humana não se livrará das limitações, tanto físicas como mentais, que causam tanto sofrimento e impedem o processo da evolução.
 
Retardo Mental

O retardamento mental é um dos mais trágicos problemas sociais e
ainda um dos menos compreendidos. Anos atrás, os retardados
mentais eram marginalizados, considerados incapazes de receber
qualquer ajuda, suas condições e...ram consideradas horríveis e
deploráveis e eram obrigados a viver uma vida vegetativa,
afastados do convívio das pessoas.
Hoje em dia, com novos conhecimentos, existe uma compreensão
maior para com estes desafortunados e atualmente as pessoas
esclarecidas estão entendendo e permitindo que eles se tornem
membros reconhecidos pela sociedade e, muitas vezes, podendo
atuar com proveito dentro de seu limitado campo de
possibilidades.
De qualquer maneira, o progresso não anula a dor sentida pelos
familiares destas pessoas tão tristemente afetadas. Se a causa do
retardamento mental fosse melhor conhecida os conflitos e tortura
experimentadas por estas pessoas poderiam ser mais atenuadas e a
humanidade começaria a trabalhar mais conscientemente para dar
uma eventual solução ao problema.
O retardamento mental pode ser considerado uma enfermidade,
como qualquer outra doença sofrida por uma pessoa, conseqüência
de seu comportamento durante a presente vida ou nas vidas
anteriores. De acordo com a Lei de Conseqüência, devemos colher
aquilo que nós próprios semeamos e, se nossa conduta foi
depravada ou nosso comportamento incorreto em qualquer
sentido, devemos pagar essa dívida em novo renascimento físico,
para assim poder evoluir.
As aflições que afetam a humanidade podem ser divididas em duas
categorias: Mentais e Físicas. As perturbações mentais são
particularmente atribuídas ao abuso da função criadora. Assim
como o Espírito Santo é a energia criadora na natureza, a energia
sexual é seu reflexo no homem e o uso desmedido desta força é
uma transgressão que devemos pagar em detrimento de nossos
veículos, até que compreendamos a parte Santa da força criadora.
Os ensinamentos ocultos explicam que esta força não deve ser
usada para a gratificação sexual, mas sim para a propagação. O
esbanjamento desta energia criadora poderia ser transmutado em

energia espiritual e usado nos planos superiores como agente da
Epigênesis, que é a capacidade de criar coisas novas.
A ciência oculta também ensina que o cérebro e a laringe foram
construídas pelos Anjos com a metade da força criadora do
homem, o qual, antes da aquisição destes órgãos era bissexual e
capaz de criar por si mesmo sem a cooperação de outra pessoa.
Essa faculdade perdeu-se quando estes órgãos foram criados e
agora é necessário a cooperação de outro ser do sexo oposto para
gerar novos corpos para os espíritos que desejam renascer. Há, no
entanto, uma conexão interna entre a atividade mental, a sexual e o
poder da palavra. A evidência desta afirmativa baseia-se no caso
dos maníacos do sexo, que terminam idiotas, incapazes de pensar
corretamente porque estão continuamente ocupados em
desperdiçar não somente a parte da força sexual que deveria ser
usada para a propagação, mas também grande parte da força que
poderia ser usada para construção do cérebro, fazendo-o capaz de
produzir pensamentos.
A visão espiritual revela que quando o homem estava em formação,
havia uma corrente de desejos onde quer que agora haja um nervo.
A própria mente e também a laringe foram feitas primeiramente de
substância de desejos. O desejo enviava, primeiro, um impulso
através da mente, criando correntes nervosas que faziam possível
movimento do corpo e assim, obter a gratificação indicada pelo
desejo. A palavra também é usada com o propósito de obter um
objeto ou um fim desejado; através destas faculdades é que o
homem obteve certo domínio sobre o mundo.
Enquanto, sob a Lei de Conseqüência, ele toma para si um corpo
novo, órgãos e faculdades que são similares as que abandonou na
oportunidade anterior. Quando a paixão arruinou o corpo em uma
vida, esta se estampa no átomo semente. Na próxima descida ao
renascimento, é impossível ao Ego tomar um bom material e um
corpo sadio. Vemos pois que o poderoso impulso que antes
dominava sua mente, o qual deveria ser usado com propósito da
regeneração, está ausente; falta-lhe iniciativa na vida e, por
conseguinte, renasce impossibilitado e, muitas vezes, demente.
É bom salientar que o Espírito não é, nem está demente: ele vê,
conhece e tem um desejo veemente de usar o corpo, o que se torna
impossível e, muitas vezes, não pode sequer enviar um simples
impulso através dos nervos, pois os músculos do rosto e do corpo
não estão sob o controle de sua vontade. Este fenômeno da falta de
coordenação é o que torna a pessoa tão sofredora e também tão

lastimável a quem a vê. É desta forma que o Espírito aprende uma
das mais duras lições da vida: o estar atado, viver em um corpo
incapaz e impossibilitado de encontrar expressão através dele. A
força necessária de desejos que acompanha o pensamento, a
palavra e o movimento foram consumidos por um viver incorreto
nas vidas anteriores e o Espírito renasce sem a energia necessária
para manifestar-se em seu instrumento carnal.
Há, no entanto, uma exceção a considerar, isto é, nem todos os
retardados mentais estão nesse estado pelo abuso da função
criadora em uma vida passada. Quando o Ego desce para o
renascimento, ele vê o panorama de sua próxima vida,
inteiramente dura, ele procura fugir da "escola da vida". Nessa
ocasião, a conexão entre o corpo vital e os centros sensoriais do
cérebro já foi realizado no feto, portanto, o esforço do Espírito ao
tentar escapar do útero materno é frustrado. O "puxão" dado pelo
Ego desregra as conexões dos centros sensitivos entre o corpo
físico e o etérico e de tal forma que o corpo vital não se torna
concêntrico em relação ao corpo físico, fazendo com que a cabeça
etérica se estenda para fora do crânio físico. Daí ser impossível
para o Espírito usar o veículo denso que ficou preso a um corpo
sem mentalidade e o nascimento torna-se praticamente perdido.
Também há casos, em outros períodos da vida, em que, devido a
um forte susto, o Espírito tenta sair do corpo físico com seus
veículos invisíveis. Como resultado, um "puxão" semelhante é dado
pelos centros sensoriais do cérebro e o susto desarticula a
expressão mental. Todos aqueles que já passaram por um grande
susto, provavelmente já sentiram uma sensação de agitação como
se alguma coisa estivesse tentando sair para fora do corpo físico.
Esta sensação é causada pelos corpos vital e o de desejos, os quais
atuam velozmente e de tal modo que um trem expresso é lento
comparado a essa velocidade.
Eles sentem o perigo e recebem antes mesmo que o susto seja
transmitido ao inerte e lento corpo físico, no qual eles estão
ancorados, e é ele que evita a fuga sob tais tensões. Algumas vezes,
quando o estimulo é demasiado forte, produz-se uma desconexão
sobre os centros etéricos sensoriais exatamente como quando se
estica um elástico que pode depois recuperar sua elasticidade.
Nestes casos, é mais fácil recuperar as faculdades mentais do que
nos casos de demência congênita trazida de vidas passadas e que é
a causa da conexão inadequada.

Vemos, portanto, que o retardamento mental não é o resultado de uma injustiça da parte de Deus, nem pode ser considerado como um acidente infeliz, mas é o resultado da própria conduta do Ego, assim como são os casos de todas as doenças que afligem o homem. Portanto, o sofrimento de cada pessoa foi trazido por ela própria.
Sendo assim, os mentalmente retardados não devem ser olhados de forma restritiva, ao contrário, devem ser tratados com profunda simpatia e atenção. Todos os esforços devem ser feitos para que os atuais programas construtivos de educação continuem a expandir-se, assim como a técnica de auto-ajuda que começa a ser administrada a essas pessoas. Certamente é por meio da compreensão e do amor que elas poderão receber orientação para trabalhar dentro de suas limitadas condições físicas. Devemos incentivá-las para que se esforcem, que colaborem para que este renascimento não seja perdido e que esta oportunidade constitua a lição que tenham de aprender para que possam evoluir.
O retardamento mental está sendo mais compreendido e, em conseqüência, o atendimento a esse problema é maior, especialmente com a colaboração dos pais e educadores. No entanto, a humanidade deve fazer ainda muito mais. A esta altura da evolução e do desenvolvimento humano e tecnológico de nossa época, observamos ainda e com aflição, o uso impróprio da força criadora, a atitude moderna de permissividade para tudo, a tolerância para a moral corrompida, a indulgência sexual e o estímulo da sexualidade com a única finalidade da busca do prazer. Estas atitudes não ajudam o Ego que, pelo processo de renascimento, deveria evoluir e as conseqüências serão desastrosas no futuro para muitos membros da raça humana. Tal conduta deverá ser expiada e a indulgência para com a paixão, na vida presente, produzirá sofrimentos nesta vida ou em outras.
Todos nós já passamos por estados parecidos aos dos reinos mineral, vegetal e animal antes de estarmos, como estamos atualmente, na condição humana. Existem também evoluções superiores, as quais nos aproximam cada vez mais da Divindade. É nossa paixão animal que limita o caminho do êxito e da pureza.
É óbvio que pouco progresso material pode ser realizado por um retardado mental, mas pode haver um incalculável progresso espiritual.
No presente estado de evolução, toda nossa força vital - exceto a quantidade requerida para a propagação - pode ser transmutada em sublimação da mente, e as emoções, em força de alma.

Enquanto estes fatores não forem reconhecidos e aceitos pela maioria das pessoas e finalmente por todos, a raça humana não se livrará das limitações, tanto físicas como mentais, que causam tanto sofrimento e impedem o processo da evolução
 

O domínio próprio

Foto: O domínio próprio é o fim e objetivo de toda disciplina. Nenhum homem sem governo pode subsistir seguro e salvo se não aprendeu a se dominar. É muito fácil dar ordens a outros ou dominá-los; difícil é impor obediência a si próprio.
 
 
O domínio próprio é o fim e objetivo de toda disciplina. Nenhum homem sem governo pode subsistir seguro e salvo se não aprendeu a se dominar. É muito fácil dar ordens a outros ou dominá-los; difícil é impor obediência a si próprio.
 
 
 

O Poder que se deve desejar é o que atua melhorando a Humanidade.

Foto: O Poder que se deve desejar é o que atua melhorando a Humanidade.

Tudo o que somos ou deixamos de ser é o resultado de nosso próprio esforço ou de nossa própria inação.

Foto: Tudo o que somos ou deixamos de ser é o resultado de nosso próprio esforço ou de nossa própria inação.

segunda-feira, 24 de março de 2014

Uma mente capaz

 
 
Uma mente capaz de compreender matemática coloca-se acima da mentalidade comum e é capaz de se elevar ao Mundo do Espírito, porque não está presa ao Mundo do Sentimento e ao Mundo do Desejo. Também, quanto mais nos acostumamos a pensar em termos dos Mundos Espirituais, tanto mais facilmente poderemos sobrepor-nos às ilusões que nos rodeiam nesta existência concreta, na qual os sentimentos gêmeos de Interesse e de Indiferença obscurecem a Verdade e nos sugestionam. [Abaixo reproduzo algumas curiosidades matemáticas para reflexão.].
 

Astrologia Espiritual e Ajuda

Auto-conhecimento e Espiritualidade

Foto: Auto-conhecimento e Espiritualidade Meu Irmão... ... nunca pensaste na hora em que possas conhecer-te a ti mesmo? Queres iniciar, hoje, a fazer reais esforços para alcançar essa inefável virtude? Ela é tão preciosa para o espírito, que Goethe, um iluminado ser, dizia: "Quando o homem se conheça a si mesmo, libertar-se-á das cadeias que o prendem a este mundo". Bem...se queres começar agora mesmo, acalma, primeiro, o tumulto de tuas vozes internas. Senta-te comodamente. Respira com sossego e naturalidade. Fecha os olhos. Depois pergunta-te: "Quem sou eu, em realidade?" Pensa lentamente, mas com determinação. Procura conhecer-te em todas tuas facetas. Esquadrinha profundamente teu mundo mental, definindo-o com leal exatidão. Pergunta-te honestamente: "Qual é meu objetivo sobre a Terra?" Se chegas a responder-te, de acordo aos conhecimentos que possuis, de um modo consciente e claro, tuas possibilidades de progresso são imensamente melhores O objetivo do ser humano na Terra caminha paralelamente a seu grau de inteligência. Quando se chega a um grau de consciente responsabilidade, delineando ampla e precisamente os propósitos espirituais que se tem, passa-se a estar na proporção de cinqüenta por cento no caminho verdadeiro. De nada valem todas as filosofias sobre a vida, se a humanidade não se define a si mesma. Uma pessoa pode passar estudando as coisas do espírito vinte, trinta anos, uma existência enfim, e não obter mais que uma erudição intelectual. Portanto, amigo, sê teu próprio juiz, com o máximo rigor, com a maior severidade, efetuando a necessária devassa em tua vida interna. Averigua, em teu íntimo, o que procuras no caminho espiritual: conhecer-te ou ignorar-te? Acaso, será que queres passar a existência filosofando inutilmente, sem tentar a reforma interna, sem divisar com clareza tuas reais ânsias e aspirações? Ou desejas, pelo contrário, constatar tuas imperfeições, conhecer tuas falhas e debilidades, a fim de transmutar tuas fraquezas, conscientemente, e empreender uma nova etapa em tua vida, para viver o que estudas e compreendes, procurando elevar-te na conquista da evolução celeste, e ser, desde este momento, por primeira vez em tua aprendizagem na Terra, espiritualmente sincero e leal com teu próprio Ser espiritual? Se te respondes positiva e convictamente, e procedes em teu íntimo em harmonia com as respostas que te deres, então deixarás de representar uma simples folha levada à vontade do vento, para passar a governar sabiamente o timão de tua presente vida, de teu destino, de tua finalidade divina!
Auto-conhecimento e Espiritualidade
Meu Irmão...
... nunca pensaste na hora em que possas conhecer-te a ti mesmo? ... Queres iniciar, hoje, a fazer reais esforços para alcançar essa inefável virtude? Ela é tão preciosa para o espírito, que Goethe, um iluminado ser, dizia:
"Quando o homem se conheça a si mesmo, libertar-se-á das cadeias que o prendem a este mundo".
Bem...se queres começar agora mesmo, acalma, primeiro, o tumulto de tuas vozes internas. Senta-te comodamente. Respira com sossego e naturalidade. Fecha os olhos.
Depois pergunta-te: "Quem sou eu, em realidade?" Pensa lentamente, mas com determinação. Procura conhecer-te em todas tuas facetas. Esquadrinha profundamente teu mundo mental, definindo-o com leal exatidão.
Pergunta-te honestamente: "Qual é meu objetivo sobre a Terra?" Se chegas a responder-te, de acordo aos conhecimentos que possuis, de um modo consciente e claro, tuas possibilidades de progresso são imensamente melhores
O objetivo do ser humano na Terra caminha paralelamente a seu grau de inteligência. Quando se chega a um grau de consciente responsabilidade, delineando ampla e precisamente os propósitos espirituais que se tem, passa-se a estar na proporção de cinqüenta por cento no caminho verdadeiro. 
De nada valem todas as filosofias sobre a vida, se a humanidade não se define a si mesma. Uma pessoa pode passar estudando as coisas do espírito vinte, trinta anos, uma existência enfim, e não obter mais que uma erudição  intelectual. 
Portanto, amigo, sê teu próprio juiz, com o máximo rigor, com a maior severidade, efetuando a necessária devassa em tua vida interna. 
Averigua, em teu íntimo, o que procuras no caminho espiritual: conhecer-te ou ignorar-te? Acaso, será que queres passar a existência filosofando inutilmente, sem tentar a reforma interna, sem divisar com clareza tuas reais ânsias e aspirações? 
Ou desejas, pelo contrário, constatar tuas imperfeições, conhecer tuas falhas e debilidades, a fim de transmutar tuas fraquezas, conscientemente, e empreender uma nova etapa em tua vida, para viver o que estudas e compreendes, procurando elevar-te na conquista da evolução celeste, e ser, desde  este momento, por primeira  vez em tua aprendizagem na Terra, espiritualmente sincero e leal com teu próprio Ser espiritual? 
Se te respondes positiva e convictamente, e procedes em teu íntimo em harmonia com as respostas que te deres, então deixarás de representar uma simples folha levada à vontade do vento, para passar a governar sabiamente o timão de tua presente vida, de teu destino, de tua finalidade divina!
                 

CLARIVIDÊNCIA

Foto: CLARIVIDÊNCIA A palavra clarividência significa "visão clara" ou a habilidade de ver nos mundos invisíveis (para a visão física). É uma faculdade latente em todos e será eventualmente possuída por todo ser humano no curso de seu desenvolvimento espiritual, a pessoa poderá, por si mesma, investigar assuntos como o estado do Espírito humano antes do nascimento, depois da morte, e a vida nos mundos invisíveis. Embora cada um de nós possua esta faculdade, é necessário um esforço persistente para desenvolvê-la de uma maneira positiva, e isto parece ser um poderoso fator intimidativo. Se pudesse ser comprada, muitas pessoas pagariam um alto preço por ela. Poucas pessoas, porém, parecem desejosas de viver a vida que é requerida para despertá-la. Esse despertar somente vem através de um esforço paciente e muita persistência. Não pode ser comprado: não existe caminho fácil para sua aquisição. Existem dois tipos de clarividência. A clarividência positiva, voluntária, é quando o indivíduo é capaz, à sua vontade, de ver e investigar os mundos internos, onde é senhor de si mesmo e sabe o que está fazendo. Este tipo de clarividência é desenvolvida através de uma vida pura e de serviço, e a pessoa precisa ser cuidadosamente treinada para saber usá-la, para que ela seja verdadeiramente eficaz e útil. Clarividência involuntária, negativa, é quando as visões dos mundos internos são apresentadas a uma pessoa independente de sua vontade; ela vê o que lhe é dado ver e não pode, de maneira alguma, controlar esta visão. Esta clarividência é perigosa, deixando a pessoa aberta para ser dominada por entidades desencarnadas que, se puderem, fazem com que a vida da pessoa, neste mundo e no próximo, não lhe pertença inteiramente. No cérebro existem dois pequenos órgãos chamados corpo pituitário e glândula pineal. A ciência médica conhece muito pouco sobre eles, e chama a glândula pineal de "terceiro olho atrofiado", embora nem ela nem o corpo pituitário estejam atrofiados. Isto é muito desconcertante para os cientistas, pois a Natureza nada retém de inútil. Por todo o corpo encontramos órgãos que estão em processo de atrofia ou de desenvolvimento.
CLARIVIDÊNCIA
A palavra clarividência significa "visão clara" ou a habilidade de ver nos mundos invisíveis (para a visão física). É uma faculdade latente em todos e será eventualmente possuída por todo ser humano no curso de seu desenvolvi...mento espiritual, a pessoa poderá, por si mesma, investigar assuntos como o estado do Espírito humano antes do nascimento, depois da morte, e a vida nos mundos invisíveis.
Embora cada um de nós possua esta faculdade, é necessário um esforço persistente para desenvolvê-la de uma maneira positiva, e isto parece ser um poderoso fator intimidativo. Se pudesse ser comprada, muitas pessoas pagariam um alto preço por ela. Poucas pessoas, porém, parecem desejosas de viver a vida que é requerida para despertá-la. Esse despertar somente vem através de um esforço paciente e muita persistência. Não pode ser comprado: não existe caminho fácil para sua aquisição.
Existem dois tipos de clarividência. A clarividência positiva, voluntária, é quando o indivíduo é capaz, à sua vontade, de ver e investigar os mundos internos, onde é senhor de si mesmo e sabe o que está fazendo. Este tipo de clarividência é desenvolvida através de uma vida pura e de serviço, e a pessoa precisa ser cuidadosamente treinada para saber usá-la, para que ela seja verdadeiramente eficaz e útil. Clarividência involuntária, negativa, é quando as visões dos mundos internos são apresentadas a uma pessoa independente de sua vontade; ela vê o que lhe é dado ver e não pode, de maneira alguma, controlar esta visão. Esta clarividência é perigosa, deixando a pessoa aberta para ser dominada por entidades desencarnadas que, se puderem, fazem com que a vida da pessoa, neste mundo e no próximo, não lhe pertença inteiramente.
No cérebro existem dois pequenos órgãos chamados corpo pituitário e glândula pineal. A ciência médica conhece muito pouco sobre eles, e chama a glândula pineal de "terceiro olho atrofiado", embora nem ela nem o corpo pituitário estejam atrofiados. Isto é muito desconcertante para os cientistas, pois a Natureza nada retém de inútil. Por todo o corpo encontramos órgãos que estão em processo de atrofia ou de desenvolvimento.
                  

Como Áries

Foto: Como Áries é o primeiro signo de Zodíaco, ele é o local de novos começos. Nos ciclos anuais das passagens do Sol pelos doze signos, ele anuncia o início do ano espiritual. Ele tem sido assim visto mesmo nas nações em que o ano civil se inicia em outros signos do Zodíaco. Moisés indicou o mês de Abib (março-abril) como o começo do ano (Ex 13:4), por ser o mês da germinação do trigo e do milho. Uma ordem também foi dada a Moisés de que a imolação do cordeiro pascal deveria ocorrer quando a Lua Nova estivesse em Áries. No tempo da Páscoa original, o Sol achava-se próximo da estrela El Natik, que significava perfurado, ferido, imolado. A Lua Cheia estava então próxima à estrela Al Sheraton, que também significa machucado ou ferido. Como a Páscoa antecedeu a crucificação de Jesus Cristo, então os Céus proclamam a vinda de grandes acontecimentos para o destino da humanidade. As palavras chave para Áries são pureza e sacrifício, e o símbolo de Áries é um cordeiro ou carneiro. Uma vez que foi sob a égide de Áries que o Senhor Cristo veio à Terra, ele é conhecido como o Bom Pastor. Uma representação pictórica bem conhecida mostra o Senhor carregando um cordeiro nos braços. Durante os primeiros anos da era Cristã, como tem sido dito, o símbolo mais usado não foi o do Cristo crucificado, mas a cruz com um cordeiro repousando em sua base. Não foi senão pelo quarto século de nossa era que o cordeiro foi substituído por uma figura humana pregada na cruz. Há duas cartas do Tarô que representam Áries, uma é a do Bufão e outra a do Alto Sacerdote. O primeiro representa um jovem com uma sacola sobre os ombros e uma rosa aberta na mão. Ele caminha para frente, destemido e ousado, para enfrentar os desafios da vida. É chamado de bufão porque ainda não iniciou sua busca e ninguém verdadeiramente compreende a vida enquanto não entrar no Caminho da Santidade. A outra carta mostra um Alto Sacerdote sentado em um trono, com um halo de luz dourada sobre a sua cabeça. Com ele, estão duas das mais sagradas relíquias, o santo cálice e a sagrada lança. Em sua mão direita, segura o cálice cheio das paixões humanas. Sobre este, colocou sua mão esquerda, indicando que ele obteve domínio sobre os elementos de sua natureza inferior. Essa figura retrata com detalhes a mais elevada expressão de Áries: autocontrole. As palavras do sábio Rei Salomão carregam a nota chave bíblica dessa conquista: “aquele que demora a se zangar é melhor que aquele que é poderoso e aquele que governa seu espírito é melhor que o que toma uma cidade!” Em um estágio mais elevado, o seguinte texto da Revelação se aplica: “Veja, eu faço novas todas as coisas.” Richard Wagner, o Iniciado músico, fundamentou sua magnífica peça espiritual sobre Parsifal, na verdade oculta na simbologia dessas duas cartas do Tarot. Parsifal, o verdadeiro tolo, entra casualmente, como assim o foi, nas terras do Castelo do Graal. Involuntariamente, mata um cisne que flutuava nas águas do lago de cura. Através de seu sofrimento e contrição pela má ação cometida, sua alma desperta e ele entra no Caminho da Busca. Ele agora precisa sair pelo mundo para ser tentado para provar sua força, sua coragem e sua perseverança. Wagner disse que o tema de Parsifal era para ser enquadrado no tema “ forte é o poder do desejo, mas mais forte ainda é o poder anímico ganho através da resistência”. No fim, Parsifal retorna para tornar-se o Alto Sacerdote do Salvat ou Rei dos Cavaleiros do Graal. Usando o traje branco de Mestre e carregando a lança sagrada, ele entra no Templo do Graal para curar o ferimento de Amfortas. Depois disso feito, ele torna-se o instrutor dos Cavaleiros do Graal e o guardião fiel do Cálice Sagrado. O que proporciona a transformação do tolo em Alto Sacerdote? O que transmuta um homem mortal em um que demonstra divindade? É o despertar do grande princípio do EU SOU dentro de si mesmo. É a Ressurreição de seu próprio Espírito Crístico. Esse é o tema do antigo cântico do Templo que ecoa o mais elevado conceito da ressurreição: Antes de todos os mundos, Eu fui! Através de todos os mundos, Eu sou! Quando todos os mundos forem apenas lembranças, Eu serei! Na época da Páscoa, quando o Sol ascende do hemisfério sul para o norte, as forças de Cristo passam dos reinos físicos para os espirituais. O corpo da Terra é como o corpo do homem. É interpenetrado pelos veículos mais sutis que se estendem para muito além do corpo físico do planeta. Repetindo, durante os seis meses do ano em que o Sol passa pelos seis signos abaixo do Equador e, pelos seis meses seguintes, quando passa pelos seis signos acima do Equador, a força de Cristo interpenetra os mais elevados reinos espirituais da Terra. Esses reinos são o lar da chamada morte, a região onde eles prosseguem com suas atividades normais por um tempo num ambiente de encantadora beleza e radiância. É aí que os Anjos e Arcanjos conduzem seus vários ministérios para os habitantes do planeta e sua descendência. Quando o Sol entra em Áries, ele aponta para a Ressurreição gloriosa, iniciando a estação da transmutação do ano. Então as águas brancas de Peixes se fundem com o fogo vermelho de Áries, uma combinação que se manifesta na exuberância de flores e canções da primavera. É também, para o homem, a estação de transmutação, a época mais propícia para ele arremessar longe a pedra de sua vida passada e aflorar no poder total de uma consciência ressuscitada. Assim como a natureza troca a melancolia do sono do inverno pelo resplendor da primavera, e o Cristo transcende a agonia do Gólgota pela exaltação da alvorada da Ressurreição, do mesmo modo o discípulo que fervorosa e persistentemente acompanhou o Cristo no íngreme e estreito caminho tem a sua própria ressurreição nos recém despertados poderes de Cristo dentro de si mesmo. Essa é a ocasião em que uma transformação surpreendente pode ocorrer dentro de seu corpo templo. Uma nova força emana do líquido branco de seus nervos e se une com uma nova essência nas correntes vermelhas de seu sangue, uma fusão que produz a luz dourada que infunde e envolve o corpo de um Iluminado. São João se referia a essa transformação quando escreveu que algum dia iremos andar na Luz como Ele está na Luz. Vermelho e branco são as cores de Áries e são também as cores da transmutação tanto na Natureza como no homem.
Como Áries é o primeiro signo de Zodíaco, ele é o local de novos começos. Nos ciclos anuais das passagens do Sol pelos doze signos, ele anuncia o início do ano espiritual. Ele tem sido assim visto mesmo nas nações em que o ano civil se inic...ia em outros signos do Zodíaco. Moisés indicou o mês de Abib (março-abril) como o começo do ano (Ex 13:4), por ser o mês da germinação do trigo e do milho. Uma ordem também foi dada a Moisés de que a imolação do cordeiro pascal deveria ocorrer quando a Lua Nova estivesse em Áries. No tempo da Páscoa original, o Sol achava-se próximo da estrela El Natik, que significava perfurado, ferido, imolado. A Lua Cheia estava então próxima à estrela Al Sheraton, que também significa machucado ou ferido. Como a Páscoa antecedeu a crucificação de Jesus Cristo, então os Céus proclamam a vinda de grandes acontecimentos para o destino da humanidade.

As palavras chave para Áries são pureza e sacrifício, e o símbolo de Áries é um cordeiro ou carneiro. Uma vez que foi sob a égide de Áries que o Senhor Cristo veio à Terra, ele é conhecido como o Bom Pastor. Uma representação pictórica bem conhecida mostra o Senhor carregando um cordeiro nos braços.

Durante os primeiros anos da era Cristã, como tem sido dito, o símbolo mais usado não foi o do Cristo crucificado, mas a cruz com um cordeiro repousando em sua base. Não foi senão pelo quarto século de nossa era que o cordeiro foi substituído por uma figura humana pregada na cruz.

Há duas cartas do Tarô que representam Áries, uma é a do Bufão e outra a do Alto Sacerdote. O primeiro representa um jovem com uma sacola sobre os ombros e uma rosa aberta na mão. Ele caminha para frente, destemido e ousado, para enfrentar os desafios da vida. É chamado de bufão porque ainda não iniciou sua busca e ninguém verdadeiramente compreende a vida enquanto não entrar no Caminho da Santidade. A outra carta mostra um Alto Sacerdote sentado em um trono, com um halo de luz dourada sobre a sua cabeça. Com ele, estão duas das mais sagradas relíquias, o santo cálice e a sagrada lança. Em sua mão direita, segura o cálice cheio das paixões humanas. Sobre este, colocou sua mão esquerda, indicando que ele obteve domínio sobre os elementos de sua natureza inferior. Essa figura retrata com detalhes a mais elevada expressão de Áries: autocontrole. As palavras do sábio Rei Salomão carregam a nota chave bíblica dessa conquista: “aquele que demora a se zangar é melhor que aquele que é poderoso e aquele que governa seu espírito é melhor que o que toma uma cidade!” Em um estágio mais elevado, o seguinte texto da Revelação se aplica: “Veja, eu faço novas todas as coisas.”

Richard Wagner, o Iniciado músico, fundamentou sua magnífica peça espiritual sobre Parsifal, na verdade oculta na simbologia dessas duas cartas do Tarot. Parsifal, o verdadeiro tolo, entra casualmente, como assim o foi, nas terras do Castelo do Graal. Involuntariamente, mata um cisne que flutuava nas águas do lago de cura. Através de seu sofrimento e contrição pela má ação cometida, sua alma desperta e ele entra no Caminho da Busca. Ele agora precisa sair pelo mundo para ser tentado para provar sua força, sua coragem e sua perseverança. Wagner disse que o tema de Parsifal era para ser enquadrado no tema “ forte é o poder do desejo, mas mais forte ainda é o poder anímico ganho através da resistência”. No fim, Parsifal retorna para tornar-se o Alto Sacerdote do Salvat ou Rei dos Cavaleiros do Graal. Usando o traje branco de Mestre e carregando a lança sagrada, ele entra no Templo do Graal para curar o ferimento de Amfortas. Depois disso feito, ele torna-se o instrutor dos Cavaleiros do Graal e o guardião fiel do Cálice Sagrado.

O que proporciona a transformação do tolo em Alto Sacerdote? O que transmuta um homem mortal em um que demonstra divindade? É o despertar do grande princípio do EU SOU dentro de si mesmo. É a Ressurreição de seu próprio Espírito Crístico. Esse é o tema do antigo cântico do Templo que ecoa o mais elevado conceito da ressurreição:

Antes de todos os mundos, Eu fui!
Através de todos os mundos, Eu sou!
Quando todos os mundos forem apenas lembranças, Eu serei!

Na época da Páscoa, quando o Sol ascende do hemisfério sul para o norte, as forças de Cristo passam dos reinos físicos para os espirituais. O corpo da Terra é como o corpo do homem. É interpenetrado pelos veículos mais sutis que se estendem para muito além do corpo físico do planeta.

Repetindo, durante os seis meses do ano em que o Sol passa pelos seis signos abaixo do Equador e, pelos seis meses seguintes, quando passa pelos seis signos acima do Equador, a força de Cristo interpenetra os mais elevados reinos espirituais da Terra. Esses reinos são o lar da chamada morte, a região onde eles prosseguem com suas atividades normais por um tempo num ambiente de encantadora beleza e radiância. É aí que os Anjos e Arcanjos conduzem seus vários ministérios para os habitantes do planeta e sua descendência.

Quando o Sol entra em Áries, ele aponta para a Ressurreição gloriosa, iniciando a estação da transmutação do ano. Então as águas brancas de Peixes se fundem com o fogo vermelho de Áries, uma combinação que se manifesta na exuberância de flores e canções da primavera. É também, para o homem, a estação de transmutação, a época mais propícia para ele arremessar longe a pedra de sua vida passada e aflorar no poder total de uma consciência ressuscitada. Assim como a natureza troca a melancolia do sono do inverno pelo resplendor da primavera, e o Cristo transcende a agonia do Gólgota pela exaltação da alvorada da Ressurreição, do mesmo modo o discípulo que  fervorosa e persistentemente acompanhou o Cristo no íngreme e estreito caminho  tem a sua própria ressurreição nos recém despertados poderes de Cristo dentro de si mesmo.

Essa é a ocasião em que uma transformação surpreendente pode ocorrer dentro de seu corpo templo. Uma nova força emana do líquido branco de seus nervos e se une com uma nova essência nas correntes vermelhas de seu sangue, uma fusão que produz a luz dourada que infunde e envolve o corpo de um Iluminado. São João se referia a essa transformação quando escreveu que algum dia iremos andar na Luz como Ele está na Luz. Vermelho e branco são as cores de Áries e são também as cores da transmutação tanto na Natureza como no homem.

sábado, 22 de março de 2014

Foto: Cristo-Jesus possuía os Doze Veículos que formavam uma ininterrupta cadeia desde o Mundo Físico até o próprio Trono de Deus. Portanto, Ele é o único Ser do Universo que está em contato, ao mesmo tempo, com Deus e com o homem. É capaz desta mediação porque experimentou, pessoal e individualmente, todas as condições, e conhece todas as limitações incidentais à existência física.


Cristo-Jesus possuía os Doze Veículos que formavam uma ininterrupta cadeia desde o Mundo Físico até o próprio Trono de Deus. Portanto, Ele é o único Ser do Universo que está em contato, ao mesmo tempo, com Deus e com o homem. É capaz desta mediação porque experimentou, pessoal e individualmente, todas as condições, e conhece todas as limitações incidentais à existência física.

)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` ╰☆ ASTROLOGIA ESPIRITUAL E AJUDA *´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` ╰☆TEl: 927138620/ 965802491 / ☆ •.¸¸.•´´¯`••._.•" ☆ •.¸¸.•´´¯`••._.•"TEL 272344314*´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` ╰☆ ☆ •.¸¸.•´´¯`••._.•"

Quando uma forma criada

Foto: Quando uma forma criada por um desejo brutal é atraída para outra da mesma natureza, cada uma exerce sobre a semelhante um efeito desintegrante, produto da desarmonia existente nas respectivas vibrações. Assim, em vez de fundir-se mal com mal, mutuamente eles se destroem, e, deste modo, o mal no mundo conserva-se dentro de limites razoáveis. Quando compreendemos o efeito destas duas forças gêmeas em ação, podemos também entender a máxima ocultista que diz: Uma mentira no Mundo do Desejo é, ao mesmo tempo, assassina e suicida.



Quando uma forma criada por um desejo brutal é atraída para outra da mesma natureza, cada uma exerce sobre a semelhante um efeito desintegrante, produto da desarmonia existente nas respectivas vibrações. Assim, em vez de fundir-se mal com mal, mutuamente eles se destroem, e, deste modo, o mal no mundo conserva-se dentro de limites razoáveis. Quando compreendemos o efeito destas duas forças gêmeas em ação, podemos também entender a máxima ocultista que diz: Uma mentira no Mundo do Desejo é, ao mesmo tempo, assassina e suicida.



O número SETE é o Grande Número dos Mistérios Divinos

Foto: O número SETE é o Grande Número dos Mistérios Divinos



Não ama a Deus quem ao semelhante odeia

Foto: Não ama a Deus quem ao semelhante odeia;
espezinhando-lhe a alma e o coração;
aquele que algema, nubla ou tolda a mente
pelo medo do inferno, não entendeu a divina direção.
Todas as religiões são abençoadas e mandadas por Deus;
e Cristo, o Caminho, a Verdade, a Vida,
foi enviado por Ele para aliviar o pesado fardo
do triste, do pecador, dando-lhes a paz pedida.
Eis que o Espírito Universal veio
a todas as igrejas e não a uma somente;
No dia de Pentecostes, uma língua de chama brilhante
envolveu cada apóstolo, em um halo cintilante.
Desde então, como abutres famintos,
por um nome vão, muitas vezes vamos lutar,
procurando com dogmas, éditos ou credos,
uns aos outros às inextinguíveis chamas enviar.
Cristo então é dois? Foram Cephas, Paulo,
para salvar o mundo, à cruz pregados?
Por que então existem, aqui, tantas divisões?
Se pelo amor de Cristo todos somos abraçados.
Seu amor puro e doce não está limitado
a credos que segregam e muros que levantamos.
Seu amor envolve todos e abraça a espécie humana
não importa como a nós ou a Ele O chamamos.
Por que então não aceitá-Lo na Sua doce palavra?
Por que manter credos que trazem desuniões?
Uma só coisa importa e deve ser ouvida!
Que o amor fraternal encha todos corações.
Mas há ainda uma coisa que o mundo precisa saber;
há um só bálsamo para toda a humana dor,
há um só caminho que conduz ao céu,
este caminho é a solidariedade humana e o amor




Não ama a Deus quem ao semelhante odeia;
espezinhando-lhe a alma e o coração;
aquele que algema, nubla ou tolda a mente
pelo medo do inferno, não entendeu a divina direção.
Todas as religiões são abençoadas e mandadas por Deus;
e Cristo, o Caminho, a Verdade, a Vida,
foi enviado por Ele para aliviar o pesado fardo
do triste, do pecador, dando-lhes a paz pedida.
Eis que o Espírito Universal veio
a todas as igrejas e não a uma somente;
No dia de Pentecostes, uma língua de chama brilhante
envolveu cada apóstolo, em um halo cintilante.
Desde então, como abutres famintos,
por um nome vão, muitas vezes vamos lutar,
procurando com dogmas, éditos ou credos,
uns aos outros às inextinguíveis chamas enviar.
Cristo então é dois? Foram Cephas, Paulo,
para salvar o mundo, à cruz pregados?
Por que então existem, aqui, tantas divisões?
Se pelo amor de Cristo todos somos abraçados.
Seu amor puro e doce não está limitado
a credos que segregam e muros que levantamos.
Seu amor envolve todos e abraça a espécie humana
não importa como a nós ou a Ele O chamamos.
Por que então não aceitá-Lo na Sua doce palavra?
Por que manter credos que trazem desuniões?
Uma só coisa importa e deve ser ouvida!
Que o amor fraternal encha todos corações.
Mas há ainda uma coisa que o mundo precisa saber;
há um só bálsamo para toda a humana dor,
há um só caminho que conduz ao céu,
este caminho é a solidariedade humana e o amor

quarta-feira, 19 de março de 2014

Astrologia Espiritual e Ajuda

Foto: Astrologia Espiritual e Ajuda

272344314


272344314

UM ABRAÇO CARINHOSO PARA TODOS OS PAIS.

Foto: UM ABRAÇO CARINHOSO PARA TODOS OS PAIS.

Felizes aqueles que neste dia podem pedir: "A SUA BENÇÃO MEU PAI".


Felizes aqueles que neste dia podem pedir: "A SUA BENÇÃO MEU PAI

O Tríplice Corpo

Foto: O Tríplice Corpo 

O “Conceito Rosacruz do Cosmos” nos diz que o homem é um Espírito tríplice e que ele 
funciona em um Corpo tríplice. Destes três, só um pode ser visto com a visão física. Paulo diz 
na Primeira Epístola aos Coríntios, cap 15, vers. 40: “Há corpos celestiais e corpos terrenos”; 
no cap 15, vers. 44: “Há um corpo natural e um corpo espiritual”. Os Ensinamentos Rosacruzes 
reconhecem o corpo natural e o corpo espiritual citados por Paulo, mas eles também afirmam 
que o corpo natural é interpenetrado por um veículo invisível chamado corpo vital que 
mantém o corpo denso com saúde, construindo e restaurando durante o sono o que o homem 
destruiu com seus desejos durante o dia. Também diz que o corpo tríplice está relacionado 
com os vários mundos invisíveis que o cercam. Os mundos físico, etéreo e de desejos, os vários 
planos da existência, são de diferentes graus de densidade e se interpenetram uns aos outros. 
Por exemplo, no mundo do desejo, a densidade da matéria provoca uma reação análoga à da 
fumaça, ficando a mais pesada perto da Terra e a mais pura e luminosa sobe no ar. 
Durante a vida do homem no mundo físico, ele está constantemente construindo seus corpos 
invisíveis com seus pensamentos, desejos e emoções. Se seus desejos o puxam para baixo 
dentro da vida dos sentidos, se o seu tempo é usado em prazeres inúteis e de gratificação 
própria, ou se não tem aspiração mais alta do que acumular riqueza, então seu corpo de 
desejos pode ser como uma fumaça negra e pesada. Depois que passa para a vida além do 
túmulo, ele é atraído para aquele reino conhecido como região purgatorial, a qual está mais


O Tríplice Corpo

O “Conceito Rosacruz do Cosmos” nos diz que o homem é um Espírito tríplice e que ele
funciona em um Corpo tríplice. Destes três, só um pode ser visto com a visão física. Paulo diz
na Primeira Epístola aos Coríntios, cap... 15, vers. 40: “Há corpos celestiais e corpos terrenos”;
no cap 15, vers. 44: “Há um corpo natural e um corpo espiritual”. Os Ensinamentos Rosacruzes
reconhecem o corpo natural e o corpo espiritual citados por Paulo, mas eles também afirmam
que o corpo natural é interpenetrado por um veículo invisível chamado corpo vital que
mantém o corpo denso com saúde, construindo e restaurando durante o sono o que o homem
destruiu com seus desejos durante o dia. Também diz que o corpo tríplice está relacionado
com os vários mundos invisíveis que o cercam. Os mundos físico, etéreo e de desejos, os vários
planos da existência, são de diferentes graus de densidade e se interpenetram uns aos outros.
Por exemplo, no mundo do desejo, a densidade da matéria provoca uma reação análoga à da
fumaça, ficando a mais pesada perto da Terra e a mais pura e luminosa sobe no ar.
Durante a vida do homem no mundo físico, ele está constantemente construindo seus corpos
invisíveis com seus pensamentos, desejos e emoções. Se seus desejos o puxam para baixo
dentro da vida dos sentidos, se o seu tempo é usado em prazeres inúteis e de gratificação
própria, ou se não tem aspiração mais alta do que acumular riqueza, então seu corpo de
desejos pode ser como uma fumaça negra e pesada. Depois que passa para a vida além do
túmulo, ele é atraído para aquele reino conhecido como região purgatorial, a qual está mais

Diagnosticando o Olho

Foto: Diagnosticando o Olho
 
Há um método infalível de saber se a pessoa está ou não realmente obsedada, denominado 
como a diagnose do olho. “O olho é a janela da alma” e só o verdadeiro dono é capaz de 
contrair e expandir a íris, ou pupila, do olho. Se levarmos uma pessoa que se diz obsedada para 
um quarto escuro, veremos que a pupila de seu olho não se expande se ela estiver obsedada. E 
a pupila não se contrairá quando a trouxermos para a claridade ou quando lhe pedirem para 
ler uma letra pequena, nem se expandirá se pedirmos para olhar para um objeto distante. 
Resumindo, a pupila não responderá nem à luz nem à distância quando a pessoa estiver 
obsedada. No entanto, a falta destas respostas nem sempre indica obsessão. Há uma doença 
chamada ataxia loco-motora na qual a íris não responde à distância, mas responde à claridade.

Diagnosticando o Olho

Há um método infalível de saber se a pessoa está ou não realmente obsedada, denominado
como a diagnose do olho. “O olho é a janela da alma” e só o verdadeiro dono é capaz de
contrair e expandir a íris, ou pupila, d...o olho. Se levarmos uma pessoa que se diz obsedada para
um quarto escuro, veremos que a pupila de seu olho não se expande se ela estiver obsedada. E
a pupila não se contrairá quando a trouxermos para a claridade ou quando lhe pedirem para
ler uma letra pequena, nem se expandirá se pedirmos para olhar para um objeto distante.
Resumindo, a pupila não responderá nem à luz nem à distância quando a pessoa estiver
obsedada. No entanto, a falta destas respostas nem sempre indica obsessão. Há uma doença
chamada ataxia loco-motora na qual a íris não responde à distância, mas responde à claridade.